Quando o Guerreiro vem: Autenticidade versus Manipulação

post-10-08-1
Neste momento no tempo como nós estamos à beira da devolução ou evolução o que significa “prestar atenção” para nós ? Nossos corações buscam sabedoria e coragem, a fé justifica o que a atenção pode trazer, viemos para isto, de modo que a atenção é o preço de termos nascido, é uma obrigação ?

No momento eu estou pensando que com certeza é uma obrigação, uma obrigação para uma enorme quantidade de seres humanos que parecem ter esquecido, ou talvez, se eu for mais gentil e mais preciso, a atenção tem sido e está sendo completamente condicionada e programada para fora, ou seja, “Aqui estão as suas viseiras, aprenda a regurgitar as opiniões que lhe impõe, preste atenção às regras, e tenha um bom dia !”.

Estamos sujeitos, presos, até que insistimos em ver, quando estamos equipados com a viseira o que acontece então ? Vamos levantar e ir para a cama, ir para a escola e crescer, treinar para uma carreira, procriar, tomar nossos comprimidos, trabalhar e morrer sem perceber que somos mais do que isso, a vida é mais do que o que estamos programados para resolver.

Distrações nos ajudam a suprimir a convicção de que “tem que existir algo mais”, a dor e a saudade dentro se expandem para sabermos quem somos, seres humanos libertados e criativos que podem amar de verdade, podemos ficar com uma vida de script como em um sonho, ou talvez ficar com uma vida de pesadelo chamado de “passar por ela”, passando sobre os danos causados em nós pela doutrinação e trauma.

Este é o lugar onde o guerreiro entra

Às vezes eu fico triste por nós seres humanos que estamos tão profundamente vinculados ao medo e a mentiras com uma tarefa tão grande que existia antes de nós, eu também estou convencido de que esta é a experiência para a qual nascemos, é uma grande guerra em que estamos e nós viemos aqui para participar, cada um, cada centelha do Divino tem alguma coisa para prestar atenção, não estamos aqui para completar nossas vidas com um sinal de menos com “algo que ganhou ou alguma coisa foi dada” pelo departamento.

É óbvio que podemos olhar para o assunto prestando atenção de muitas maneiras diferentes, o que me fez começar a pensar sobre isso foi um vídeo que eu assisti em que um repórter perguntava as pessoas na rua o que elas pensavam sobre Obama bombardear o ISIS na Síria, as pessoas regurgitavam o que elas “pensavam”, o vídeo terminou e foi realmente estranho, nenhum lampejo de luz, ninguém prestando atenção, mas novamente, se alguém tivesse se aproximado do microfone e oferecido um vislumbre da verdade, a entrevista acabaria no chão da sala de edição.

O que vimos foi simplesmente entretenimento por um ângulo, eventos mundiais a respeito, mesmo aqueles que pesquisei, ouvi e procurei os fatos em comparação as mentiras não pude descobrir a história completa, o buraco do coelho é provavelmente mais profundo do que sabemos, mas já que estamos nos esforçando para ir além da ignorância podemos estar em uma posição um pouco melhor para ver como as coisas estão se movendo, se é que isto nos interessa.

Por isso, preste atenção para as correntes do mar de consciência, onde a energia flui, onde o espírito da verdade está aumentando, onde as decepções estão vindo à tona, o que está levando as pessoas a superar o medo arraigado, é o movimento do espírito, nós vemos e ouvimos o som de verdade.

Acho que é útil buscar uma visão geral, olhar e ouvir, mantendo o medo na baía enquanto assistimos à mudança radical, estou antecipando uma e às vezes parece que eu estou vendo uma, revolução, ela vem de todas as formas, quando é autêntica e ninguém a manipula é uma tentativa de transformação da mentira em verdade, a questão é, qualquer um de nós pode ajudar a infundir com o coração como um contrapeso ao ódio ?

Se uma pessoa não quer ver, isso está bem também, às vezes, saber já é o suficiente, sabendo que o que nós humanos consideramos como realidade é de fato um sistema justamente chamado de matrix, com indivíduos sociopatas ou megalomaníacos no topo, nem sempre foi assim e não vai ser sempre assim, mas é assim agora.

Não precisamos prestar atenção a cada “guerra” artificial e “evento terrível” se nós sabemos que eles são todos artificiais, podemos prestar atenção em como fazer um jardim crescer, ou como fazer um balde com restos de madeira, ou podemos nos concentrar em como curar a nós mesmos, ou ir para uma metamorfose, ou estar em mais de um lugar ao mesmo tempo, ou ajudar alguém, ou como dar uma boa risada ou se derreter em um abraço.

Nós seres humanos somos incríveis, nos concentramos em todos os tipos de coisas, desde a mais degradante, prejudicial até a mais divina, ressuscitando, transformando e aparentemente fazendo milagres, como a atenção é algo que a linguagem diz que «remunera», pode-se chamá-la de nossa moeda, o que estamos pagando ?

Ao decidir onde colocar a nossa atenção estamos na verdade criando o futuro ? Algumas pessoas dizem que sim, que a nossa atenção focada cria o nosso mundo, o lugar mais difícil para chegar em um estado de medo, é o lugar exato que precisamos ir, a sede da nossa divindade, se formos para o coração como podemos perder ?

Eu tenho pensado sobre a questão de prestar muita atenção como você pode ver e eu finalmente cheguei ao meu número um: prestar atenção ao nosso sentimento, nós estamos olhando para a “sensação” de alguma coisa, sentindo a vibração de energia e sabendo o que “é” isto de como é sentir, outra palavra para isso seria percepção.

As coisas que realmente sabemos com certeza nós percebemos, mencionei antes a “fé justificada”, eu tenho certeza que vai dar um estremecimento em alguns leitores, “a fé é para os tolos” dirão eles, eu não estou falando de fé religiosa, a fé justificada é um nível mais profundo de auto confiança, confiar naquelas coisas que sabemos com certeza, este é o nosso poder.

Quando entramos neste mundo não estávamos entrando na era da iluminação, este é o fim da era do medo e das mentiras, a batalha é para estabelecer a verdade e o amor, até essas energias têm uma “sensação”, tudo tem um toque e podemos senti-lo.

O que sabemos, com certeza não importa o quão pouco que seja, é nosso, é a nossa verdade, a fé em nossa verdade se justifica, ele é o nosso “algo ganho e algo dado”, a partir daqui podemos crescer e fazer a nossa parte para ajudar a mudança radical.

©Ida Lawrence

Origem: wakingtimes

Anúncios

2 comentários em “Quando o Guerreiro vem: Autenticidade versus Manipulação

  1. Dario, Bom dia

    O texto usa a metáfora dos Guerreiros e é como temos que agir.Só que não como guerreiros em busca de conquistas materiais ou de poder e sim, em busca da Luz.
    O guerreiro da luz sempre procura melhorar.Cada “golpe” de sua espada traz consigo séculos de sabedoria e meditação. Cada “golpe” precisa ter a força, a habilidade de todos os guerreiros do passado, que ainda hoje continuam abençoando a luta para enxergarmos a LUZ. Cada movimento no “combate” honra os movimentos que as gerações anteriores procuraram transmitir através da Tradição Espiritual.
    Sejamos todos Guerreiros da Luz, Guerreiros como Rama, forte e amoroso. Não tenhamos medo das batalhas, elas virão, queiramos ou não, enfrentemos todas com discernimento e alegria. Vamos atrair como Rama as parcerias aliadas e aprender com elas, mas não nos esqueçamos que somos únicos.
    Enfrentemos as batalhas , mas não percamos a poesia, a beleza e a alegria. O Guerreiro da Luz é um iniciado e sabe que é imperecível, por isso não há tempo para mazelas e inseguranças.
    Um Guerreiro da Luz também sabe que não está sozinho, pois ele é parte do Plenum Còsmico. Mas também sabe que deverá vencer a maior de todas as batalhas, a do Ego. Sabe também que a maior arma é o discernimento. O texto enfatiza que nós guerreiros, já sentimos que somos Luz….então trabalhemos e honremos o Todo que está em nós, honremos a nossa Essência Divina e não esqueçamos nunca a Alegria, uma das maiores “armas” em nossas batalhas.Amemos muito e incondicionalmente, sem dor ou apego.
    Um Guerreiro da Luz sabe/sente o que deve ser feito.
    Ele confia, trabalha e alimenta a Luz.
    E quanto a Fé? Bem, uma pequeno Koan, digno do texto de hoje;
    “O discípulo pergunta ao Mestre:
    – Mestre, o que é a fé?
    O Mestre pediu que o discípulo acendesse uma fogueira. Os dois sentaram-se frente a ela e ficaram contemplando o fogo.
    – Eis a fé – disse o Mestre. – É a lenha da fogueira. O combustível que mantém acesa a chama de Deus em nosso coração.
    – Mas a lenha precisa de uma centelha para transformar-se em luz.
    – Existem várias centelhas. A mais comum chama-se Vontade. Basta querer ter fé e ela aparece em nosso caminho.
    – Mesmo quando passamos uma vida inteira sem acreditar em nada?
    – Sempre acreditamos, mesmo sem reconhecer ou aceitar e por isso é tão fácil despertar a centelha. E além do mais, quanto mais vivemos, mais próximos estamos de Deus: a lenha velha queima sempre com mais facilidade”(e como isso é verdade).

    Hoje eu metaforizei….sr
    Mas adorei.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s