Seu Único Problema é a Sua Própria Mente

post-12-17-1
Onde não existe o medo ? Será que ele tem alguma existência física, você pode prendê-lo em sua mão ? Mesmo com o julgamento, onde é que ele existe ? E também sobre o ódio, o ciúme e todas as emoções negativas ? Onde todas estas coisas “existem” ? Não são todas estas coisas a causa da enorme dor e sofrimento das pessoas ? Parece que compreender a natureza de sua existência é extremamente importante.

post-12-17-2A resposta é óbvia, elas existem na mente, elas não têm existência fora da mente. Você pode ver as coisas acontecendo com violência ao seu redor, o que é uma expressão de raiva, mas a violência não é a raiva em si. Você pode ver as expressões das emoções negativas que acontecem no mundo, mas as próprias emoções negativas estão apenas na mente.

A mente é a fonte de todos os problemas, você pode acreditar que alguém perder o uso das pernas é um problema físico, mas a realidade é que o problema ainda está na mente. Há pessoas com deficiências físicas que amaldiçoam a cada dia que elas estão vivas e há pessoas com as mesmas deficiências que aprenderam a viver com elas e são muito felizes por causa disto. Fisicamente, é a mesma situação, mas mentalmente é muito diferente. É a diferença entre felicidade e miséria, simplesmente por causa de uma atitude mental. A forma como as coisas estão é a maneira como as coisas estão, é a mente que julga como sendo um problema ou não.

Desde que o sofrimento existe apenas na mente, parece óbvio que a mente é a fonte do sofrimento. Na verdade, a mente é a que cria todos os problemas, toda a ideia de um “problema” é um conceito dentro da mente. Nenhuma destas coisas deve ser muito difícil de aceitar, pelo menos mentalmente, mas parece que a aplicação deste conhecimento é algo com que as pessoas lutam. Digo isto porque a maioria das pessoas ainda está tentando resolver seus problemas usando a mesma coisa que criou os problemas, A SUA MENTE.

post-17-12-4Quantas vezes você já ouviu falar que não pode resolver um problema usando o mesmo tipo de pensamento que criou o problema ? No entanto, durante todos os dias, as pessoas tentam fazer exatamente isto. Esse tipo de criação inconsciente torna a vida muito difícil, você pode facilmente criar mais dois problemas para cada problema que “resolver”. A mente é que cria os problemas, ela não pode transcendê-los.

Todos os sistemas religiosos e espirituais, todos os sistemas políticos, econômicos, científicos e psicológicos, todas estas coisas que são usadas no mundo inteiro para nos controlar, se baseiam no uso da mente e tentamos usar a mente para resolver os problemas que a mente criou. Não vai funcionar, mas as pessoas tolamente colocam sua esperança em tal impossibilidade. Isto inevitavelmente resulta em mais sofrimento mental, eu recomendo perceber isto o mais rápido possível. A menos que as pessoas mudem coletivamente esta situação, os mesmos padrões, continuarão a ocorrer.

post-12-17-5Eu não tenho nenhuma dúvida de que muitas das pessoas que estão lendo isso, estão à procura de entendimentos mentais. Essa é simplesmente a natureza do paradigma, a maioria das pessoas está vivendo a partir disto e é por isso que as pessoas têm tanta dificuldade em transcender a ilusão. As pessoas querem usar uma ilusão para tentar escapar de outra ilusão. É por isso que existe tanta espiritualidade, especialmente material da nova era, nada mais é do que fantasia. Se você tentar usar a mente para ver além da ilusão, você só está criando mais ilusões.

Se você não pode resolver o problema da mente com a mente, com o que deve ser então ? Como a maioria das pessoas vive quase que inteiramente em suas mentes, isto parece ser um paradoxo. Nós temos todas essas práticas espirituais que são supostamente para resolver esta questão, mas as práticas espirituais e todo o conhecimento espiritual, ainda se baseiam de fato na mente. Eles podem ajudar alguns, mas não resolve o problema na raiz. É inerentemente limitado porque ainda é parte da mente.

É por isso que muitas vezes é repetido para sair da mente e ir para o coração. O coração não faz julgamento, de modo que o coração não tem nenhum problema. Você pode acreditar que o coração sofre, mas não é realmente o coração que sofre, são os desejos insatisfeitos da mente que criam o sofrimento. É a mente que cria a ilusão de separação e é a mente que chora a perda percebida, que é na realidade a mente sentindo pena de si mesma.

A mente pode criar a ilusão de cura, na verdade isso é o que é conhecido como o efeito placebo. Como a mente criou o sofrimento ela tem um enorme controle sobre o sofrimento. Se você realmente acredita em sua mente que alguma coisa vai fazer você se sentir melhor, as chances são de que vai aparecer algo para acabar com o sofrimento. Se você não entender que a mente é que criou o sofrimento, em primeiro lugar, isso pode levar a crer que a mente tem enormes poderes de cura. Naturalmente, os padrões que originalmente criaram o problema ainda estão lá e é provável que o sofrimento vá retornar de uma forma ou de outra.

Quanto mais você sair da mente, mais perto você chega de Deus. Este é o ponto da meditação, no entanto, isto é muitas vezes ignorado, as pessoas ficam todas envolvidas em técnicas e sistemas de meditação, mais criações mentais. Basta estar presente está é a meditação mais eficaz, ainda que é muito simples para a mente. A mente precisa complicar as coisas, pois complicando a realidade é a forma da mente existir, em primeiro lugar.

Você não precisa se livrar da mente por completo, isto vai acontecer mais cedo ou mais tarde de qualquer maneira. A chave é parar de associar seu EU com sua mente. Sua consciência não se origina de sua mente, sua mente é apenas um assunto da sua consciência, um entre muitos. A chave é entender o uso da mente e também suas limitações. Se você quer escrever um livro, você precisa da mente, se você quer paz e felicidade duradoura, não use a mente para tentar chegar lá. Ela não consegue, só o amor pode realmente satisfazer sua alma, por tentar encontrar a paz através da mente é que há tantos conflitos no mundo. A mente é a fonte dos conflitos, ela não pode compreender verdadeiramente a paz, ela só vê a paz dualisticamente, como a falta de conflito. A paz é muito mais do que isso.

Entenda que você precisa da mente para ser uma parte da sociedade. Sem a mente não há sociedade, a sociedade é uma das muitas invenções da mente. Eu não recomendo se desligar do resto da humanidade, então eu não recomendo tentar erradicar a mente por completo. Lutar com a mente só a reforça de qualquer maneira, pois os conflitos em si tem sua origem na mente.

post-12-17-6O equilíbrio é encontrado quando não associamos o nosso EU com os pensamentos da mente, por eles já não estarem associados. Basta observá-los e deixá-los ir, não fique preso neles. Então você vai começar a expandir a sua consciência para os sentimentos mais sutis que normalmente são abafados pelos pensamentos altos, incontroláveis da mente. É quando vemos além da mente que o Divino é encontrado, onde o amor verdadeiro, a satisfação e a paz são encontrados.

©will

Origem: soundofheart

4 comentários em “Seu Único Problema é a Sua Própria Mente

  1. Pingback: Para ler e entender | noideadude

  2. Pingback: Seu Único Problema é a Sua Própria Mente – 18.12.2014 | Senhora de Sírius

  3. Dario Bom dia,
    O estudo da mente humana sempre motivou o homem a buscar inúmeros significados para tudo o que sente e vê e milhares de definições já foram escritas e estudadas para essa ferramenta incrível que nos foi dada para evoluir, a princípio.Como corpo, nós estamos no espaço. Como mente, nós estamos no tempo.Mas,afinal, somos nós um mero corpo com uma mente nele?Por que não investigar a própria ideia de corpo? É a mente que surge no corpo ou é o corpo que surge na mente? Certamente deve haver uma mente para conceber a idéia “eu-sou-o-corpo”. Um corpo sem uma mente não pode ser “meu corpo”.Nosso corpo estará invariávelmente ausente quando a mente está ausente. Ele também está ausente quando a mente está profundamente engajada em pensamentos e sentimentos. Observamos o coração sentindo, a mente pensando, o corpo agindo; o próprio ato de perceber mostra que nós não somos o que percebemos e o” percebido” não pode ser o” percebedor”. O que quer que nós vejamos, ouvimos ou pensamos a respeito,vamos nos lembrar que não SOMOS o que nos acontece, nós somos aqueles para QUEM isso acontece.Desejo, medo, problema, alegria, eles não podem aparecer a menos que NÓS ESTEJAMOS LÁ para que eles possam nos aparecer. Assim, o que quer que aconteça, aponta para nossa existência como um centro de percepção então, abandonemos os apontadores e estejamos conscientes daquilo que eles estão apontando.
    Quando nós entendemos que a distinção entre o interno e o externo só existe na mente, nós não mais a temeremos ,afinal,nós não somos o corpo, nem estamos nele.Tendo aperfeiçoado o espelho de modo que ele reflita corretamente, verdadeiramente,nós podemos” virar o espelho” e ver nele um reflexo de nós mesmos – verdadeiro na medida em que espelhos refletem. Mas o reflexo não somos nós – NÓS SOMOS O OBSERVADOR DO REFLEXO.O que é realmente nosso, nós não estamos conscientes.Como deve haver algo imutável para registrar descontinuidade, nós não somos este corpo-mente, o qual não é nem contínuo nem permanente.A mente é descontínua. De novo e de novo ela sai do ar, como em um sono ou distração.Toda essa reflexão foi proposital, afim de ajudar a entender o processo mental em que está inserido o medo.E eu falo de QUALQUER TIPO DE MEDO,desde os mais simples e corriqueiros, aos medos que enfrentamos no dia -a dia tão familiares, aos medos mais existenciais.Compreender como vencê-­los e buscar isso, pode significar um bálsamo que conduz à harmonia e ao equilíbrio em nossas vidas. Para vencê-­los, precisamos compreender essa” autonomia freqüencial” que nos atinge, nos envolve e que pode ser
    reconhecida e existir sob nosso domínio.Nós mesmos é que ocasionamos, na continuidade de nossas vidas, as novas experiências que repetirão os padrões freqüenciais que vamos alimentando, mesmo inconscientes disso. Compreender este fato, entender como acontece e como os níveis de nossa consciência podem se abalar com aquilo que armazenamos neles, é muito importante para se prevenir ou eliminar as dificuldades e os conflitos de nossas vidas. Afinal, não existe qualquer pessoa sorteada ou escolhida para vivenciar uma experiência pré-­definida ou determinada por algo externo. Não existe qualquer força externa a da nossa própria individualidade, criando a realidade que vivenciamos, pois já sabemos que nós mesmos criamos e definimos a nossa vida em todos os seus momentos futuros no AGORA.Para começar a vencer os medos, precisamos evitar suas vibrações. Isso não é fácil, mas é possível e IMPRESCINDÍVEL. Esse é um princípio de equilíbrio. É preciso vivenciar a harmonia da vida, de forma independente aos estímulos do meio.E isso, simplesmente, porque são nossos medos que mantém ao nosso redor as freqüências que atraem novas dificuldades, problemas e conflitos para nossas vidas e somam vibrações que intensificam o medo em outras
    pessoas e podem abrir canais à ampliação da violência, da retenção, da satisfação a qualquer custo, do ódio que corrói o discernimento dos homens.Precisamos descobrir e acreditar em nossa verdadeira condição Divina e Eterna para recriarmos a nossa vida e
    assim expressarmos uma vibração positiva que irá atenuar e até destruir os nossos medos. Devemos manter a atenção em expandir o bem ao nosso redor e o controle de nossos medos é um excelente termômetro para avaliar a nossa evolução pessoal. Se soubermos vivenciar o Ser com o Plenum Cósmico ao mesmo tempo em que
    pressentimos sermos um entre todos nós, nada deverá nos atemorizar, pois jamais estaremos desamparados e sós.Então, vamos ter a coragem de enfrentá-los e jamais negá-los.A palavra coragem é muito interessante. Ela vem da raiz COR, que significa CORAÇÃO. Portanto, ser corajoso significa viver com o coração.Quando não temos a coragem , só temos medo, criam em torno de nós uma segurança baseada na lógica(mente). Com medo, fechamos todas as janelas e portas ­ com teologia, conceitos,
    palavras, teorias ­ e do lado de dentro dessas portas e janelas fechadas, eles se escondem.O caminho do coração é o caminho da CORAGEM E DO AMOR INCONDICIONAL.Significa viver no amor e confiar, é enfrentar o desconhecido. É deixar o passado para trás e deixar o futuro SER.A pessoa que está viva, realmente viva, sempre enfrentará o desconhecido. O perigo está presente, mas ela assumirá o risco. O coração está sempre pronto para enfrentar riscos; fazendo uma metáfora, o coração é um jogador. A cabeça é um homem de negócios. Ela sempre calcula, ­ ela é astuta. O coração nunca calcula nada.Coragem significa enfrentar o desconhecido apesar de todos os medos e, de maneira alguma significa ausência de medo. A ausência de medo acontece se nós passamos a ser cada vez mais corajosos e amorosos. Essa é a experiência máxima de coragem e amor; ­ a ausência de medo!É esse o sabor, quando a coragem tornou-­se absoluta e o amor prevalece sobre tudo.Enfrentar o desconhecido, dá a você certa excitação. O coração começa a pulsar novamente, volta a se sentir vivo, totalmente vivo. Cada fibra do seu ser está vibrando porque você aceitou o desafio do desconhecido.Viver com o coração e não com a mente questionadora e colher os frutos deste desapego, desta leveza, em todos os relacionamentos e projetos. O livro Mojud – o homem com a vida inexplicável , de autoria de Osho, descreve com clareza a trilha para se alcançar este estado de espírito,esta disponibilidade interna.A crença floresce no coração – para que qualquer coisa aconteça, é preciso acreditar, com fé, com intensidade e com AMOR.
    Crer com o CORAÇÃO e não com a MENTE, pois ela abre espaço para a dúvida e o medo. O coração, não! O coração confia, o coração arrisca.
    Sigamos a corrente da consciência interna – às vezes, os acontecimentos atropelam nosso planejamento e não conseguimos entender porque. A vida é assim, um mistério – e por isso mesmo, fabulosa! O importante é seguir o fluxo, sem contestar,vivendo o AGORA com AMOR, dando AMOR,sentindo AMOR por tudo e todos.Somente vivendo para descobrir – o aprendizado se faz no transcorrer da vida. Por isso, não nos preocupemos em como iremos aprender, como iremos mudar,vamos nos manter VIVOS COM AMOR.
    A vida é a mestra – não nos preocupemos com o caminho, pois o trajeto é que faz evoluir. A vida ensina ao trazer o inexplicável, o novo, o prazer, o êxtase então, libertemo-nos dos nossos condicionamentos, de nossas expectativas e apreciemos cada momento, cada pessoa, cada gesto…..sem medo.Vamos sentir mais e raciocinar menos.
    A espiritualidade é resultado do AMOR –a conexão com o divino e,seja de que forma acontecer, é sempre uma dádiva para os que tem o coração aberto. Os grandes iluminados acreditavam em si mesmos, na sua capacidade de transformar e de manifestar o amor com naturalidade. Vamos abrir nossos corações,ACREDITAR E AMAR. A experiência do êxtase é resultado desta abertura.Nossa vida pode ser uma comédia, uma aventura ou uma história de superação, sucesso e amor. Mas pode ser também um drama, uma trajédia ou a monotonia da não-mudança. Porque todos nós temos tudo isso em nossas vidas. O que muda é como editamos, em quais experiências mantemos o foco e sobre o que falamos. Fale do drama e do medo, e sua vida será um drama cheio de medo. Fale da aventura e a mesma vida será deliciosa…….
    Estes são os aprendizados da vida de Mojud, palavra que significa “aquele que está no presente”,portanto, sem medo.Seu grifo “se você quer paz e felicidade duradoura, não use a mente para tentar chegar lá. Ela não consegue, só o amor pode realmente satisfazer sua alma,” resume o post brilhantemente e oferece-nos um caminho seguro para a dissolução dos nossos medos, dos menores e mais simples, aos maiores e mais complexos.Albert Einstein sempre é uma referência como cientista e pensador e é dele esse fragmento de pensamento;
    “Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio – e eis que a verdade se me revela.Os ideais que iluminaram o meu caminho são a bondade, a beleza e a verdade.A imaginação é mais importante que o conhecimento. Conhecimento auxilia por fora, mas só o AMOR socorre por dentro.(Albert Einstein)
    E um dos meus escritores geniais favoritos;
    “Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar”.(William Shakespeare)

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá Monica

      Obrigado pelo comentário

      Esta frase do Einstein realmente é perfeita, você a encaixou com uma precisão cirurgica.

      Muita paz, luz e amor
      Dario Mânica

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s