Ensinando as Crianças Como Pensar Em vez do Que Pensar

post-01-15-3
O nosso sistema de ensino está fazendo mais para doutrinar nossos filhos do que para educá-los. Na verdade, isto vem acontecendo há muito tempo. Nossas mentes jovens estão sendo orientadas a aceitar a autoridade como verdade em vez da VERDADE como autoridade e os professores falam para os alunos, em vez de com eles.

Relacionado: Os Sete Pilares da Matrix

Os professores tornaram-se repetidores de informação. Eles estão simplesmente regurgitando tudo o que uma vez aprenderam com os seus próprios professores, perpetuando a reciclagem de informações, informações que conseguiram fugir do escrutínio por gerações. As crianças já não são os mestres de sua própria aprendizagem, em vez disso, suas mentes estão sendo tratadas como recipientes de armazenamento.

O modelo de fábrica da educação, com seu foco no elitismo acadêmico e econômico, está produzindo trabalhadores obedientes para o sistema, incentivados a obedecer a cada passo do caminho. Nós não estamos sendo tratados como orgânicos, criativos, seres humanos de investigação, mas sim como peças de máquina. O sistema de ensino está filtrando a natureza inquisitiva do nosso ser, com o objetivo final de evitar a dissidência contra o sistema. O sistema não quer pensadores. Ele não quer que as pessoas questionem seus métodos. Ele quer uma população que pode ser facilmente manipulada e controlada, de modo a abrir mão de todo o seu poder para a elite.

Há aqueles que dizem que as habilidades do pensamento crítico não pode ser ensinado nas escolas. Sócrates provavelmente zombaria desta noção, se ainda estivesse vivo hoje. Sócrates disse: “Eu não posso ensinar nada a ninguém. Eu só posso fazê-lo pensar.” Se nós vamos resolver o problema da doutrinação em nosso sistema escolar, temos que começar a fazer perguntas em vez de dar respostas. A aprendizagem real é obtida através do processo de investigação. As crianças têm de ser incentivadas a procurar as próprias respostas. Cabe aos professores fornecer as ferramentas e recursos necessários para que as crianças realizem o inquérito e façam descobertas significativas. Uma pergunta bem formulada vai fazer mais para inspirar do que qualquer número de respostas. Em cada faceta de nossas atividades educacionais, torna-se crucial começar um diálogo aberto com os nossos alunos, incentivar o debate saudável e ajudá-los a formar suas próprias conclusões.

A importância do ensino da filosofia nas escolas não pode ser subestimado. Em um mundo onde a maioria da humanidade está correndo na esteira com viseiras, é fundamental que nós reavaliemos nossas próprias perspectivas de tempos em tempos e olhemos para o quadro geral. O ensino da filosofia nos faz pensar, nos faz questionar e nos faz contemplar. Sem essas habilidades, a humanidade continuará a funcionar no piloto automático e nós vamos permitir que aqueles no poder continuem a nos dominar, oprimir e escravizar em todos os sentidos.

Precisamos recuperar nossas próprias mentes…

©Will Stanton

Origem: wakingtimes

Tradução e Divulgação: A Luz é Invencível

Anúncios

4 comentários em “Ensinando as Crianças Como Pensar Em vez do Que Pensar

  1. Pingback: O Sistema de Controle ou o Despertar: Qual Ganhará ? | Aquilo Que Aprendi

  2. Pingback: Ensinando as Crianças como Pensar cm vez do que Pensar – 14.01.2015 | Senhora de Sírius

  3. Dario Bom dia,
    Atualmente vivemos em uma humanidade em crise,antecedendo uma grande transformação á nível dimensional e podemos sentir que o ambiente natural está sendo degradado, como também o social e o nosso psíquico. Para pensarmos em uma nova sociedade, se faz necessário pensar em uma nova educação. Que tipo de educação poderá fazer eco às angústias e às esperanças do Novo Homem desta nova era? Entre as diversas tendências de pensamento, a visão holística oferece novos caminhos para encontrar novas propostas educacionais para esta questão.
    Analisando tudo o que sempre é postado aqui, sob uma visão ampla, de como os novos integrantes da comunidade humana que vão nascendo, tem de ser educados, chego á uma simples conclusão;Estes processos educativos do novo milênio devem ser baseados nos fundamentos do Holismo.Esse conceito enfatiza o desafio de criar uma sociedade sustentável, justa e pacífica em harmonia com a Terra e sua Vida. A visão holística procura ampliar a maneira como vemos e a relação que temos com o mundo, exaltando nossos potenciais humanos inatos: o intuitivo, o emotivo, o físico, o imaginativo e o criativo, assim como o racional, o lógico e o verbal.Acredito que sómente seres humanos saudáveis e integrais, criam uma sociedade saudável.Na contracorrente dos mais trágicos acontecimentos da realidade sócio-política mundial, o paradigma holístico vem nos dar novo alento, esperança, reacendendo as “utopias” adormecidas em nossas mentes.O sistema de pensamento implantado pelo Sistema(leia-se religiões e Elite) separou a matéria do espírito,óbviamente para dominá-los em separado, já que isso nos enfraquece.”Segundo eles”, no corpo reside a raiz de todo mal. É nele que se instala a” fonte da insensatez”, das paixões, das discórdias e da ignorância. A “alma” quer libertar-se deste mundo, e isso se dá mediante o sofrimento e a morte, até que ela possa receber o prêmio da felicidade e da vida eterna no” reino de Deus”, no outro mundo.Aqui está os postulados de domínio das religiões e da Elite.Na visão realística/holística da vida, o principal não é cada parte, mas “O TODO” e como essas partes se inter-relacionam, sendo isso mais importante do que a soma das partes.Na medida em que nos retiramos para nossas mentes, esquecemos como “pensar com nossos corpos”, de que modo usá-los como agentes do conhecimento, e conforme Descartes nos legou, também nos desligamos do nosso meio ambiente natural e esquecemos como comungar e cooperar com sua rica variedade de organismos vivos.A divisão entre espírito e matéria levou a concepção do universo como um sistema mecânico que consiste em objetos separados, os quais, por sua vez, foram reduzidos as seus componentes materiais fundamentais cujas propriedades e interações, acreditam-se, determinam completamente todos os fenômenos naturais.Estendeu-se essa concepção cartesiana da natureza aos seres vivos, e eles foram consideradas máquinas constituídas de peças separadas. Veremos que tal concepção mecanicista está na base da maioria de nas ciências atuais, e foi o que levou à bem conhecida fragmentação em nossas disciplinas acadêmicas e serviu como fundamento lógico para o tratamento do meio ambiente natural ,”COMO SE ELE FOSSE FORMADO POR PEÇAS SEPARADAS” a serem exploradas por diferentes estudiosos.Tudo isso o Holismo estuda, aliado a biotecnologia dos ecossistemas, matéria nova na área da Biologia moderna, que considera o corpo humano e suas potencialidades psicofísicas como parte deste ecossistema que é o Planeta Terra inserido dentro de um Universo ilimitado e em expansão.Visando uma percepção do TODO, a visão holística considera não sómente a razão e a sensação, mas também a intuição e o sentimento como vias de construção do real e é preciso pensar de forma analítica, juntamente com as funções cerebrais intuitivas, emocionais e espirituais!
    A fragmentação á que esta sociedade manipulada e controlada é submetida afeta tudo:na economia, teve como resultado devastação ecológica. O ar que respiramos e água que bebemos estão normalmente poluídos. Estamos destruindo pela falta de consciência , pois nos vemos separados do processo orgânico que nos rodeia;outra configuração de fragmentação ocorre dentro de nós mesmos. O principal motivo da falta de unidade do mundo e a falta da unidade na pessoa. Estamos desconectados de nosso próprio corpo e de nosso CORAÇÃO. Como conseqüência, vivemos centrados somente em nossos interesses. A visão materialista da vida estimula as pessoas a darem maior importância a bens materiais, no entanto, muitas delas que adquiriram bens materiais não se sentem completas, elas notam que estão perdendo algo, que na falta de outra palavra melhor, podemos chamar de espiritualidade;a fragmentação em nossa cultura é percebida por uma falta de sentido compartilhado de significados. Essa falta de censo chega a ser evidente quando procuramos abordar temas de interesse social e humano. O único tema que compartilhamos é a visão materialista da vida, onde a realidade e só física, e que somente podemos controlá-la com o método cientifico. Relacionado a ele está o consumismo, que nos estimula a guardar o maior número de bens materiais possíveis. Quanto mais tivermos, maior será a nossa felicidade;Essa fragmentação ultrapassa os muros das escolas e exige delas sua reprodução. Devido a isso, nossas escolas transpiram fragmentação por todos os lados: organização (tempo, espaço) compartimentada e hierarquizada, profissionais especializados e desconectados, conhecimento fragmentado em disciplinas, unidades e lições isoladas, sem possibilidade de ver a relação dentre e entre elas, e entre estas, a realidade que os alunos vivem. Tudo isso prepara e educa para a fragmentação.Na minha modesta opinião,Já que estou sempre em contato com professores e educadores de universidades, a visão holística para a educação é o caminho para as novas gerações de seres humanos nesta nova era de transição planetária( todos os seus grifos estão ligados aqui, sempre perfeitos).A educação holística nutre o desenvolvimento da pessoa de forma global; está interessada no intelectual, assim como no emocional, no social, no físico, no criativo/intuitivo, no estético e nos potencias espirituais; gira em torno das relações entre os aprendizes, às pessoas jovens e adultas. A relação professor-aluno tende a ser igualitária, aberta, dinâmica e não limitada por funções burocráticas ou regras autoritárias. Um sentido de comunidade é essencial;está interessada na experiência vital, não em “habilidades básicas” rigorosamente definidas. A educação é crescimento, descoberta de uma vastidão de horizontes; é um envolvimento com o mundo, uma questão para compreender e dar sentido. Essa questão vai além dos horizontes limitados dos currículos convencionais, livros didáticos e provas padronizadas.A educação holística capacita os alunos para que se aproximem criticamente de contextos culturais, morais e políticos de suas vidas. Reconhece que as culturas são criadas pelo povo e que podem ser mudadas por ele, se deixarem de servir às suas necessidades. Como contraste, a educação convencional somente reproduz a cultura já estabelecida. A educação holística, então, é um empreendimento fundamental, afinal, educar é semear com Sabedoria e colher com paciência.

    “Cérebros brilhantes também podem produzir grandes sofrimentos. É preciso educar os corações”(Dalai Lama)

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá Monica

      Obrigado pelo comentário e presença.

      Concordo com você, a essência é tratarmos o ser humano como um todos “físico e espiritual”, seja na educação, na medicina, nas relações.

      Muita paz, luz, amor e expansão de consciência.
      Luz é Invencível

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s