CHAVES PARA O AUTOCONHECIMENTO-O CAMINHO PARA A CURA-quinta parte



anterior posterior

O que é fundamentalmente buscado por todos os seres humanos é chamado de Purusartha em Sânscrito. Embora aparentemente cada pessoa busque coisas diferentes na vida, existem quatro objetivos universais que todo mundo busca – Artha, Kama, Dharma e Moksa.

SEGURANÇA E PRAZER

Qualquer coisa que dê a você qualquer tipo de segurança – emocional, econômica ou social – é chamado de Artha em Sânscrito. Segurança pode estar na forma de dinheiro, relacionamentos, um lar, reconhecimento, influência, ou poder de qualquer tipo. Tais realizações apóiam o ego e, portanto fornecem alguma segurança para ele. Embora muitas pessoas procurem várias formas de segurança em tempos diferentes, a busca de segurança é comum a todos.Buscar prazer é uma outra busca, chamada de Kama em Sânscrito. Qualquer coisa que satisfaça seus sentidos, agrade sua mente, toque seu coração e evoque em você uma certa apreciação é Kama. Qualquer forma de prazer que você obtenha do seu lar ou relacionamento, por exemplo, é Kama. Música e viagens também são Kama e não Artha, porque buscando-as você está buscando prazer e não segurança ( salvo em alguns relacionamentos íntimos ou interpessoais). O prazer tem muitas formas. Por exemplo, prazeres sensoriais pode ser qualquer coisa, de sorvete em diante. Prazeres intelectuais incluem jogar jogos, resolver quebra-cabeças ou enigmas,entabular conversas inteligentes com pessoas que possam nos ensinar/orientar/esclarecer e pesquisar campos de estudo. Existe outra forma de prazer vinda de observar as estrelas, por exemplo, ou apreciar uma alvorada, uma flor, uma linda pintura ou uma criança brincando. Porque esse prazer não é nem sensorial nem intelectual, chamaremos de prazer estético. Mesmo esses prazeres, que vão além dos sentidos e do intelecto, também são Kama.

DHARMA COMO OBJETIVO HUMANO

Há uma terceira busca, Dharma, que não é nem Artha, segurança, nem Kama, prazer. Em Sânscrito, Dharma é uma palavra com muitos significados. Aqui, ela se refere a um sentido de harmonia, à satisfação vinda de ações altruístas como compartilhar ou ajudar outras pessoas. A busca do Dharma é diferente da de Artha e Kama, porque você normalmente não ajuda outros para obter segurança ou prazer. Quando você encontra alguém precisando de ajuda e você pode aliviar seu desconforto, você se sente feliz. A alegria que você experimenta não é igual ao prazer que você experimenta indo á algum lugar prazeiroso que se quer muito ou a um concerto.Um médico, que não trabalha apenas por ganhos financeiros, experimenta este tipo de prazer. Fazer trabalho de caridade tem um resultado similar. Aqueles que estão aptos a descobrir alegria neste tipo de serviço fazem isso, eu diria, por causa de uma certa maturidade e entendimento da parte deles.A satisfação que advém do processo de amadurecimento de alguém é um tipo diferente de alegria. Não machucar alguém ou fazer a coisa certa no momento certo, por exemplo, dá á você alegria – se não agora, depois. Fazendo uma alegoria,suponha que você tenha adiado fazer alguma coisa necessária do dia á dia ou algo para alguém á que prometemos coisas importantes . No dia em que você decide fazer isso – e faz isso – você descobre que há uma alegria em finalmente fazer o que devia ser feito, uma alegria que não é prazer nem segurança. É apenas fazer o que é para ser feito, isto é Dharma, que é a medida de sua maturidade, quanto mais maduro você é, mais dharmico você é. Para ser maduro, um entendimento do Dharma e estar de acordo com ele, torna-se da maior importância na vida de alguém.Então, sem ferir o Dharma, fazendo o que é para ser feito, você busca segurança e prazer.

MOKSHA É LIBERDADE

A quarta busca, Moksa, é liberdade ou liberação. Moksa é reconhecida como uma busca feita por poucas pessoas em qualquer geração. Porque uma certa apreciação, maturidade ou “insight” sobre a vida e suas lutas é necessária para entender Moksa;as pessoas não a buscam claramente, embora todo mundo esteja procurando liberdade, de fato.Embora nós geralmente pensemos em liberdade num sentido muito positivo, a palavra Moksa é definida num sentido negativo. Se há algo limitando você, do qual você quer tornar-se livre, esta liberdade é chamada Moksa. Por exemplo, um homem na prisão perdeu sua liberdade de movimento e quer liberdade da prisão. Se alguém está usando muletas por causa de uma fratura na perna, esse alguém deseja libertar-se das muletas. Da mesma forma, uma criança que precisa de ajuda  ou da mão da mãe, quer livrar-se da ajuda externa e esforça-se para ficar de pé por si só. Da mesma forma, Moksa significa liberdade de algo que eu não quero. Que eu esteja ligado a formas particulares de segurança, revela um certo fato sobre mim mesmo – que eu sou inseguro e que desejo ser livre de qualquer senso de insegurança. Indo atrás de certas seguranças, eu não estou buscando as seguranças por elas mesmas. Eu estou procurando libertar-me de ser inseguro. Da mesma forma, quando procuro  determinados prazeres que são muito efêmeros(sexo desregrado, álcool, drogas, satisfação do ego material),isso revela que eu estou agitado e não satisfeito comigo mesmo. Eu tenho que fazer alguma coisa para achar prazer, o que significa que eu quero ser livre do sentimento de insatisfação comigo mesmo.Se eu estou sempre procurando segurança e prazer, quando eu serei capaz de dizer “Eu consegui!”? Sómente quando eu me vejo como uma pessoa segura e satisfeita. Quando eu não mais sinto a necessidade de procurar prazeres e seguranças efêmeras , vazias e impermanentes, então eu posso dizer que sou livre.

Quando nós analisamos nossas várias buscas – segurança, prazer e até mesmo Dharma – nós descobrimos que não buscamos realmente nenhuma delas. Por fim, todos estão buscando apenas Moksa, porque liberação de qualquer tipo de sentimento de falta é o que procuramos em nossas buscas.Moksa não quer dizer salvação. De fato, não há nenhuma palavra em Sânscrito para salvação, o que é correto, já que salvação implica em certa “condenação”. Implica que alguém tenha que salvar você, o que não é o que significa Moksa. A palavra Moksa refere-se apenas a libertar-me da noção “Eu sou inseguro” e “Eu estou insatisfeito comigo mesmo”.Ser livre significa que eu devo ver a mim mesmo como seguro e estar satisfeito comigo mesmo, como eu sou. Sómente assim eu serei livre. Se eu estou seguro e satisfeito comigo mesmo, todas as outras buscas tornam-se secundárias porque eu não necessito de segurança ou mudanças de situação para estar seguro e em paz comigo mesmo na situação na qual me encontro.

DISCERNINDO O PROBLEMA

Se você necessita buscar segurança para estar seguro ou buscar prazer para estar bem consigo mesmo, suas buscas serão infinitas. Você vai gastar toda sua vida manipulando o mundo para satisfazer você mesmo. No processo, você vai descobrir que duas mãos e duas pernas, cinco sentidos e uma mente não são suficientes para lidar com todos os fatores envolvidos. Sua família/amigos/relacionamentos tem que ser satisfeita e voce nunca pode ser satisfeito! Há muitos eventos e situações, bem como forças da natureza, sobre as quais você parece não ter controle.Com seus poderes limitados e seu conhecimento limitado,sem nunca parar para pensar em um autoconhecimento profundo e libertador, você descobre que você nunca conseguirá dimensionar as exigências para obter as seguranças e os prazeres duradouros que você busca. É por isso que a vida parece um problema. Apenas quando você atinge uma certa idade(por volta dos  quarenta anos)  é que você começa a entender isto. Procurar segurança e prazer é muito natural e saudável, quando são verdadeiros e com sentido de crescimento pessoal. Para uma pessoa que não analisou suas buscas, segurança e prazer sempre parecem estar fora de si mesmo. “Eu sou inseguro”, por exemplo, é uma conclusão totalmente aceita, uma conclusão que nunca é questionada ou posta em dúvida.
 Como criança, nossa segurança dependia da constante proteção, amor e cuidado dos nossos pais. Agora que somos crescidos, a segurança dos nossos pais depende de nós, e a nossa segurança está em algum outro lugar. Portanto, como criança éramos inseguros e agora  precisamos  ser seguros. Há uma troca constante no que  tomamos por segurança. Isto é comum a todo mundo. Ninguém, entretanto, merece ter esse problema. Segurança e prazer não são o problema. Que eu careça de algo não é o problema. O problema é que eu careço.As coisas das quais eu careço sempre mudam: eu careço de uma formação, eu careço de dinheiro, eu careço de filhos,de amor,de carinho/afeto,de compreensão,de aceitação,enfim, eu careço . Qualquer coisa de que alguém careça é sempre peculiar à própria pessoa num determinado tempo e espaço, e a carência de algo, difere de pessoa para pessoa e de cultura para cultura. Entretanto, o sentimento de “Eu careço” é comum a todo mundo.
 ANALISANDO E TRABALHANDO AS CARÊNCIAS-desejos e preferências
 Existem muitas coisas das quais eu careço. Eu posso carecer de um corpo saudável, um corpo mais alto, um corpo mais magro, um nariz arrebitado, cílios mais longos ou uma cor de pele diferente. E isto pode ser o começo de uma lista sem fim. Quanto mais você tenta obter o que carece, mais você descobre que carece. Isto é como ir a uma loja para comprar algumas coisas que você precisa e voltar para casa com mais alguns desejos a serem preenchidos na próxima semana. É por isso que nós dizemos que o desejo é como o fogo. Não importa o quanto você o alimenta, o fogo nunca diz, “Basta!”. Da mesma forma, eu nunca consigo dizer “Basta!” á seguranças e prazeres efêmeros, porque sempre haverá algo mais do qual careço.Se você fechar as portas, deixar o mundo para trás e sentar-se numa cadeira confortável, você descobrirá se está ou não satisfeito consigo mesmo. Você descobrirá que você não necessita de um mundo de objetos, um mundo de artigos/bens de consumo ou o que quer que seja para estar satisfeito. Tudo que você necessita é você mesmo.
Para estar insatisfeito, portanto, não é necessário nada além de você mesmo. Não é o mundo que não satisfaz você, você é insatisfeito com você mesmo. E porque qualquer segurança ou prazer são limitados por natureza – em termos de tempo, espaço e conteúdo – aquele que está insatisfeito assim permanece a despeito de momentos de prazer ocasionais.Quando então você irá preencher completamente seus desejos por segurança e prazer? Eu não estou dizendo que você não deva buscar segurança, este não é o ponto aqui. Nós estamos apenas tentando entender a natureza de nossas buscas. Dinheiro, por exemplo, definitivamente tem seu valor. Mas, se você pensar que há segurança no dinheiro ou em qualquer outra coisa, o processo de busca torna-se infinito
O eu inseguro, aquele que quer estar seguro, na realidade não se torna seguro pela obtenção de algo que eu considero ser seguro. Por exemplo, enquanto eu necessito de muletas, o sentimento de insegurança permanecerá comigo. Sentir-me seguro porque eu tenho muletas não significa que eu tornei-me seguro. Eu tenho um falso sentimento de segurança por causa das muletas, mas o sentimento de insegurança centrado em mim permanece.Suponha que eu seja inseguro e que o que eu penso que é seguro, seja tão inseguro quanto eu.Exemplificando, quando uma pessoa insegura casa-se com outra pessoa insegura para tornar-se segura, o resultado não é segurança. Tudo que resulta é um casamento entre duas pessoas inseguras. Insegurança somada à insegurança não resulta em segurança, apenas resulta em insegurança dupla. Portanto, um eu inseguro somado a qualquer coisa nesse mundo, não vai tornar-me seguro.

A VISÃO VEDANTA

Nós agora já percebemos que o problema é: “Eu sou insatisfeito comigo mesmo”, esse é um fato que não será alterado apenas porque eu consigo momentos de segurança ou prazer. Que eu seja inseguro ou infeliz não muda meramente, porque eu adquiro certas seguranças. A única solução é que eu me veja como uma pessoa já segura e aceitável.Se, com todas essas seguranças e prazeres, eu estou insatisfeito comigo mesmo, como eu poderei ver-me satisfeito? Nesse ponto é onde o ensinamento chamado de Vedanta vem e diz a você que o problema não está na carência de alguma coisa, mas em não saber que você não precisa de nada. O ensinamento transforma todas as buscas de uma pessoa em uma busca de conhecimento, ou Moksa.Na visão de Vedanta, não há razão para você estar insatisfeito com você mesmo, porque você é totalmente aceitável para você mesmo – não por atitude , mas por fato. Isto não é uma crença; é um fato, um fato que pode ser descoberto. Sómente alguma coisa que possa ser descoberta é um fato e o fato á ser descoberto aqui, é que você não necessita de nada. Você é totalmente livre. O único problema é que você pensa que falta algo e a solução é que você veja que nada falta. Portanto, o problema é você e a solução é também você. Esta é a visão de Vedanta.
MAIS DICAS PARA NOS TORNARMOS MAIS AUTOCONSCIENTES
1-Assuma pleno controle de seu modo de vida.
­ Você está vivendo o estilo de vida que você sente que é mais benéfico para o seu bem ­estar físico e mental? Talvez haja certos hábitos ruins que você precisa  se livrar, ou certos bons hábitos que você gostaria de implementar em sua rotina diária. Não tenha medo de agir agora e fazer mudanças positivas necessárias no seu estilo de vida, para ajudá-­lo a assumir o controle consciente completo.
 2- Escolha libertar-se das crenças limitadoras.
No processo de mudança de crenças, escolha acreditar em coisas que capacitam a sua alma. Uma boa maneira de saber qual “coisa” será capacitante, é simplesmente perguntar-­se como você se sente sobre a adoção dessa nova “coisa”. Se você sente uma forte conexão com uma nova maneira de pensar, com um sentimento de entusiasmo, ela provávelmente será uma escolha muito boa para implementar. Faça um esforço consciente para limpar todas as crenças que são menos do que satisfatórias. Entenda também que, à medida que você se torna um ser humano mais consciente, mudar/desbloquear/eliminar suas crenças, vai se tornar um processo muito mais fácil, mais natural.
3- Evite lutas físicas e abuso
Luta física decorre de mal ­entendidos emocionais, ódio, e expressões emocionais negativas. Lutar pode ser descrito como o oposto da paz. Luta física e outras formas de abuso podem realmente fazer um grande trabalho aos nos distrair de nos tornar seres humanos mais conscientes. Qualquer coisa que você pode fazer para parar de lutar físicamente, ou qualquer abuso, acabará por fazer a si mesmo e aos indivíduos envolvidos mais conscientes.
4- Esteja consciente e aceite suas emoções
­ Não importa quais são suas emoções atuais, você vai ajudar a si mesmo profundamente se aceitá­-las. Passar pela vida resistindo á suas emoções e aprisionando­-as dentro de si mesmo, torna a vida muito mais difícil. Tentar escapar de nossas emoções reduz nossa consciência. Quando você aceita o que sente e conscientemente entende por que tem uma determinada emoção, o seu nível de consciência aumenta.
5- Fale com compaixão
­ Ao conversar com os outros, você escolhe suas palavras com sabedoria? Ou você é do tipo de pessoa que não se importa com o que diz? A verdade é que as pessoas que escolhem as suas palavras com sabedoria e pensam conscientemente durante a conversa são as que mostram maior respeito por si mesmas e têm mais compaixão pelos outros. Faça um esforço consciente para falar com compaixão, e os resultados positivos virão.
6- Pense positivo, aja positivamente, seja positivo
Ser uma influência positiva é um bom exemplo para os outros e para si mesmo. Positividade e estados de ser positivos ,têm efeitos diretos ao elevar sua consciência. Eu recomendo tentar ser uma pessoa mais positiva em todas as áreas da vida; você vai notar e sentir as mudanças benéficas na sua consciência.

7- Identifique-­se com a sua alma ­

Perceba que, em seu núcleo, você é um ser espiritual que está vivendo em um corpo físico. Em estágios mais primários de consciência, este conceito pode parecer irreal e pode ser muito difícil de entender. À medida que você se torna melhor em identificar-­se com sua alma, você se torna melhor em percorrer o seu caminho para escalar a montanha da consciência.

8- Veja faltas percebidas como uma “imagem no espelho”
­ Quando você olha para os defeitos dos outros e identifica falhas em outras pessoas, use­as como uma ferramenta de aprendizado para si mesmo. As pessoas que estão na sua vida não foram postas lá por engano, eles foram colocadas lá para lhe ensinar algo sobre si mesmo. Ao ser capaz de assumir a responsabilidade pessoal por aquilo que está sendo apresentado por outros ao seu foco consciente, você pode tomar a informação e fazer mudanças muito positivas.
9-Expanda seus horizontes
­ Tentar algo novo pode fazer parte de qualquer área de sua vida. Talvez você queira tentar adicionar um novo hábito saudável para sua rotina diária, fazer compras em uma loja de orgânicos, ou mesmo participar de algum grupo de estudos.  Ter coragem aumenta sua consciência e, ao constantemente tentar coisas novas, você aumenta a sua capacidade cognitiva de adaptar-­se e avançar além de quaisquer estados inferiores de medo.
10- Encare seus medos mais profundos
­ Existem temores que você mantém internamente que o impedem de fazer progresso consciente? Em determinadas fases ao longo da escada de consciência, pode ser extremamente difícil enfrentar seus medos. Tendo dito isso, enfrentar seus medos irá equipar a sua consciência com mais poder e energia.  A escolha de enfrentar “medos saudáveis” irá ajudá-­lo considerávelmente em sua capacidade de fazer avanços conscientes.
11-A utilidade dos Mantras
Os mantras são simplesmente palavras ou frases repetidas várias vezes com intensidade emocional para benefício pessoal ou espiritual. Eles têm sido comumente utilizados em práticas religiosas para louvar certos deuses ou divindades, mas eles também podem ser usados para o desenvolvimento pessoal e para tornar-­nos mais conscientes. Não importa o caminho que você escolhe para usar mantras, estes podem ser muito úteis, um poderoso catalisador para ajudá-­lo a tornar-se mais consciente.
12- Pratique afirmações positivas
­ As afirmações são um pouco diferentes dos mantras, ainda que os conceitos sejam muito semelhantes. Afirmações são usadas para alterar as crenças e padrões de pensamento. Exemplos de afirmações positivas incluem: “Eu me aceito e me amo”, “Eu sou saudável”, “Eu sou positivo”, e “Eu sou inteligente” O objetivo principal do uso de afirmações deve ser para substituir crenças e padrões de pensamento doentios por outros mais saudáveis; tornando mais fácil escalar a montanha da consciência.
***********************************************************************************************
CONCLUSÃO E NOTA DO BLOG
A beleza  do ser humano consiste em essencialmente sermos humanos vívidos em todos os sentidos. Significa buscarmos viver sem alucinações diante da realidade deslocando e transferindo problemas pessoais aos outros, nos privando de vivenciar uma realidade maior de amor e de carinho. Consiste em lidarmos e honrarmos os nossos problemas sejam eles quais forem, sem deslocar ou imaginarmos problemas onde não existem, perdendo o nosso tempo precioso deixando de viver com o que realmente é importante para que as nossas vidas efetivamente sigam em frente no nosso melhor. Viver de verdade é muito maior do que desvios repetitivos de comportamentos, competições infundadas, vínculos em crenças irreais que nunca nos levarão à sensação  do êxtase que é sentir­-se no Sagrado que é própria existência. Em circunstâncias vizinhas, temos as diversas consciências encarnadas em moldes humanos atuando nas interligações de todas as suas partes, buscando nem que seja apenas por processos intuitivos ainda não conscientes, saírem do véu de ilusão em que “vivem”. Podemos observar pela nossa própria experiência, que a consciência pode se renovar a cada segundo. O estar parado, se repetindo, passa a significar deterioração. O tempo na Terra age como um fator ilusório, impulsionando­-nos sempre a agir, daí a importância de não enganarmos a nós mesmos nos repetindo infinitamente em padrões de funcionamento há muito conhecidos, sejam eles quais forem. E isso pode ser desde crenças religiosas, casamento, brigas constantes, padrões de submissão, etc. Nesta vertente é que podemos perceber quanta ausência de si mesmo e de vida que reside naqueles que não ousam entrar nesse quadro vivo, que é a própria existência. Estamos todos agindo simultâneamente, ora como participantes inseridos dentro de um suposto contexto, ora como observadores nesse imenso show.Somos os atores de nós mesmos, por isso, é que necessitamos saber com clareza de que modo estamos atuando em cada instante, podendo assim desenvolver as nossas habilidades, sermos os senhores criadores das nossas realidades com total consciência e deixando assim o status de autômatos. Por isso, é altamente relevante a busca sincera e a participação lúcida onde quer que estejamos, exigindo de nós mesmos a consciência da totalidade. Estamos nos aprimorando em nossos caminhos quando em propósitos claros e bem definidos, presentes em nossos corpos físicos, respirando e trocando ar com todas as atmosferas.Devemos procurar estar em tudo, vivendo o prazer do saber estar,tirando proveito de todas as experiências, na consciência do aprender. Gerando o automerecimento, a auto­estima e, simultâneamente, quando conscientes deste projeto, ampliando oportunidades criativas para todos. Somos criadores, criaturas divinas em pleno movimento, sempre. São as atividades múltiplas e variadas do Buscador, que tem como princípio a expansão do Eu, mesmo que este não o saiba ainda ao certo.Devemos expandir a consciência do “si mesmo”, transformando os universos em que se transita, em espirais de movimento para o nosso interior e ao mesmo tempo em que nos expandimos, em ondas de alegria para todo o Cosmo. Sentimos ­ que, à medida que  avançamos pela própria vontade de se ter Consciência e Lucidez, novos caminhos vão se abrindo. Somos grandes, temos a divindade em nós.
EQUIPE DA “LUZ É INVENCÍVEL”
************************************************************************************************
Não é o Mundo Que Não Satisfaz Você, Você é Insatisfeito Com Você Mesmo

Dayananda Saraswati

**********************************************************************************************

Bibliografia para consulta

1-O despertar de uma nova consciência
Eckhart Tolle
2-Momento de despertar
Shakti Gawain
3-Psicologia da Alma
Dr Joshua David Stone
4-Um Curso em Milagres
Foundation for de Inner Peace
5-Ascenção Cósmica-roteiro para os reinos desconhecidos da luz
Dr Joshua David Stone
6-Sua missão ascencional-O seu papel no Plano Maior
Dr Joshua David Stone
7-Ascenção Cósmica
James Tyberonn
8- O processo da Iluminação Espiritual
Judith Blackstone
9-Modern Physics and Vedanta
 Swami Jitatmananda
10-Vedanta Monthly
 Vedanta Center
11-Manuscritos -acervo pessoal
12-Vedanta Advaita
Sesha
13- Passo á Passo-A Jornada do Autoconhecimento
Carlos A. Bacelli
14-Autoconhecimento-A chave da Mudança
Carlos Roberto da Silva Junior
15-Karma e Dharma
 De Rose
16-As 3 Jóias-Buddha,Dharma e Sangha
 Tartang Tulku
17-Ensinamentos que vem do coração
 Tartang Tulku

Nota; Alguns livros estão disponíveis em nossa Biblioteca Virtual

Divulgação: A Luz é Invencível

A “Luz é Invencível” tem por norma não publicar links que não estejam ligados ao texto postado.Pedimos a compreensão de todos, e para qualquer dúvida, temos nossa caixa de sugestões onde todos podem livremente fazer suas colocações que serão arquivadas para consultas posteriores.
Nós agradecemos a compreensão de voces.
Equipe da “Luz é Invencível”

Um comentário em “CHAVES PARA O AUTOCONHECIMENTO-O CAMINHO PARA A CURA-quinta parte

  1. Pingback: Chaves para o Autoconhecimento: O Caminho para a Cura – 5ª Parte – 05.07.2015 | Senhora de Sírius

Não poderei responder os comentários

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s