As Etapas para uma Transformação Consciente-Parte 2


anterior posterior

Mudança: Tranqüilizadora em seus ciclos.

A promessa anual de flores primaveris  faz lembrar-nos que as sementes do novo crescimento estão germinando. Mudança: Chegada menos suave. Realidade explodindo como um canhão, despedaçando nosso mundo cuidadosamente ordenado em microssegundos. Mudança: Um nascimento bem-vindo. Uma nova vida, cujo primeiro alento reordena todas as nossas prioridades e relacionamentos — e dá novo significado aos recursos, ao tempo e à lealdade. Mudança: nos questionando com a segurança. A vitória por tanto tempo esperada fica sem sentido porque não queremos mais aquilo que pensávamos que queríamos. A mudança é inevitável. Ninguém discutiria a respeito de algo tão óbvio. Contudo, quase sempre ficamos surpresos quando ela ocorre. Sabemos que nossos filhos podem muito bem crescer de um modo diferente daquele que prevíamos para eles. Mas, como no fundo não acreditamos nisso, ficamos angustiados quando acontece. Sabemos que nossos pais vão ficar velhos um dia, e nós também. Porém, entramos em pânico diante dos primeiros sinais de debilidade. Chegamos até mesmo a admitir que nenhum emprego é 100% garantido e que os relacionamentos necessitam de constantes redefinições, senão morrem. Contudo, quando dizemos à pessoa amada “você mudou”, isso é mais uma acusação do que o reconhecimento de um processo inevitável e natural. Podemos tentar nos proteger contra a realidade da mudança, mas o eu profundo está ciente disso. Nós observamos e nos deixamos levar pelo ritmo cíclico das estações, celebrando os antigos ritos sazonais de plantio, gestação e colheita. Mas o eu profundo, preocupado com a sobrevivência e dependente da terra, fica assistindo atentamente. Ele se lembra do ano em que a terra reteve seus frutos, do dia em que a montanha adormecida repentinamente lançou fogo, ou da época em que as águas que dão vida entraram numa agitação de destruição mortal, quando a Boa Mãe, fértil e frutífera, tornou-se de maneira imprevista a Mãe Terrível, desestabilizando-nos em todos os conceitos de poder manipulador e estabilidade.

A mudança anuncia-se com um nascimento, uma morte, um tiroteio, um emprego, um sucesso ou um fracasso ou com manchetes agressivas informando-nos que o mundo continuou a girar enquanto dormíamos plácidamente. Sem nenhum aviso, o enredo confiável de nossas vidas, no qual os atores sabem suas falas, desdobra-se num drama fora do comum. O que aconteceu ao herói? Quem é o vilão? Qual é a minha próxima fala? Tudo o que observamos no universo demonstra que a mudança é a única constante da vida. Do rápido movimento das células até o ciclo de vida das estrelas, toda a natureza está num contínuo processo de nascimento e morte. Podemos procurar nos reassegurar repetindo o velho ditado: “Quanto mais as coisas mudam, mais continuam as mesmas”, mas isso significa apenas que estamos focalizando os processos mais lentos de evolução. Estamos enganando a nós mesmos quando tentamos aprisionar a vida e imobilizá-la no seu estado de permanência. Também podemos tentar agarrar o vento com uma peneira. Isso porque a vida é movimento. O que vemos hoje já está em processo de morte. Vivemos no sonho de ontem que se tornou manifesto e amanhã veremos os resultados daquilo que sonhamos hoje. Não importa quanto possamos manipular, medir e analisar, a vida continua de modo maravilhoso, aterradoramente misteriosa. Sem dúvida, resistir à mudança é muito humano. A resistência teimosa, a ponto de dizer: “Eu já tomei a minha decisão, não me confunda com novidades” está fundamentada no medo do desconhecido e tem causado muito sofrimento, tanto pessoal como coletivo.

CRENÇAS LIMITANTES

Travam-se verdadeiras guerras em todas as áreas da vida humana quando as crenças do passado são desafiadas por mudanças no presente. Temos toda uma história de eliminação dos mensageiros da mudança. Não gostamos que nossos mitos sejam desafiados. Contudo, inovadores em todas as áreas da realização humana — científica, educacional, política, religiosa — têm vivido em sincronia com o mistério da mudança. Eles observam aquilo que existe e perguntam em que pode se transformar. Infelizmente, a resistência à mudança que eles anunciam muitas vezes resulta em serem ignorados, ridicularizados e até mesmo eliminados, apenas para ressurgirem da infâmia anos mais tarde e se tornarem os heróis de novas lendas. E assim o processo se reinicia. Sempre que construímos uma cidadela para defender uma verdade aceita, em vez de deixá-la em aberto para averiguação posterior, cristalizamos a vida no dogma. Porém, quando pensamos que já temos tudo delineado, a evolução dá um passo adiante, abre as portas e janelas, e toda a poeira do passado é sacudida e somos obrigados a mudar mais uma vez. Entrementes, lidamos com o presente, descobrindo com freqüência dentro de nós mesmos capacidades inimaginadas de coragem e resistência. Século após século, os seres humanos se recuperam dos sonhos desfeitos e procedem à reconstrução. Persistimos, dando três passos para a frente e dois para trás, através da lenta e estafante disciplina da experiência. Somos impulsionados em direção a uma perfeição maior com a mesma certeza com que o sol faz rebentar a vida na semente posicionada na direção de sua luz. Somos impelidos pela promessa de um potencial ainda não realizado. Para aqueles que temem a mudança, a evolução é inimiga. Mas para aqueles que respondem conscientemente ao ritmo constante da evolução, é a essência da vida convocando-nos a nos tornar tudo aquilo que podemos ser. Ela estimula nossos desejos. Ela nos torna descontentes com a injustiça, a doença, a poluição e a guerra. Ela planta em nossos corações uma certeza de que a vida não precisa ser como é. A evolução desperta, encoraja e nos arremessa para a mudança.

Somos totalmente interdependentes uns dos outros e de todas as outras formas de vida que fazem parte de nosso mundo. Caracterização das transformações O autoconhecimento é o passo inicial da realização espiritual. Ajudar as pessoas a confrontar e integrar seus próprios medos e limitações pessoais faz com que para nós se torne possível lidar com esses problemas em termos raciais, nacionais e planetários. Orientadores, terapeutas e mestres estão numa boa posição para observar transformações pessoais, possivelmente porque as pessoas raramente procuram seus serviços quando a vida está se desenrolando satisfatoriamente. Geralmente, é algum tipo de trauma que nos leva a pedir ajuda. Pode ser uma crise muito transparente como, por exemplo, o fato de ser abandonado pela pessoa amada, descobrir que um filho anda consumindo drogas, a morte súbita de um amigo, o diagnóstico de uma doença incurável, uma depressão debilitante — qualquer uma das centenas de gatilhos que repentina e inequivocamente transformam a vida que planejáramos com tanto cuidado. As pessoas também procuram profissionais capazes de ajudá-las quando estão passando por mudanças na sua vida espiritual. Alterações que surgem dos níveis mais profundos do eu só parecem ser menos violentas do que uma crise imediata e desgastante em nossa vida exterior. As mudanças da alma tendem a ser mais evolucionárias que revolucionárias. Porém, nas grandes reviravoltas, pode surgir qualquer mudança com toda a violência de uma crise, pois não há nada na nossa vida que possa ser separado do Espírito.

KRINES

A palavra crise tem origem no vocábulo grego krines, que significa “separação de caminhos”. Isto já diz tudo. No despertar de uma crise importante, quase sempre nos desligamos da nossa visão anterior da realidade — não importa se o fazemos de boa vontade ou com queixas e gritos. Os chineses têm duas palavras para designar crise; uma significa “perigo”, a outra, “oportunidade”. De uma perspectiva espiritual, aquilo que parece ser perigoso geralmente nos oferece grandes oportunidades de crescimento. Muitas vezes, podemos sentir a aproximação de uma grande mudança. Pode ser que ela ainda não se tenha manifestado no mundo físico, mas sentimos sua energia em movimento, alterando o status quo. Antes de uma forte tempestade, sempre há um silêncio tenso, quase como se o próprio ar estivesse retendo o fôlego. Encontramo-nos no meio desse silêncio, percebendo a borrasca que se aproxima. Isso porque os momentos decisivos se anunciam por meio de vários sintomas vagos: uma profunda inquietação, um anseio indefinível, um aborrecimento inexplicável, a sensação de estar paralisado. As mudanças que alteram nossa vida freqüentemente ocorrem como se uma cápsula de libertação do tempo tivesse sido dissolvida dentro da psiquê. Contudo, o acontecimento em si é, em geral, menos importante do que as oportunidades de aprendizado que estão encapsuladas dentro dele. Se é o momento de aprender uma lição específica, então acontecerão coisas que providenciarão a oportunidade perfeita. Porém, se os acontecimentos não se desenvolverem de modo a prover a lição necessária, ou se a lição não for aprendida, então ocorrerá outro conjunto de eventos que irão reapresentar a mesma lição.

A HISTÓRIA DE JOHN

Suponha que a cápsula tenha sido liberada no momento certo para John, um rapaz de vinte e um anos, que precisa aprender a perdoar. O local do aprendizado pode ser o seu emprego e o patrão que ele parece ser incapaz de satisfazer torna-se o seu mestre. O acontecimento é que John é despedido. Se ele perdoar o patrão, estará livre para seguir em frente. Não terá de repetir a lição. Mas, no caso de se recusar a aprender sobre o perdão, passará para outra classe com novo mestre — porém a lição continua sendo a mesma: saber perdoar. John pode se ver num novo emprego — e desta vez ele está ameaçando o ego de um colega, que se vinga apresentando o trabalho de John como se fosse seu e obtendo para si um mérito que é dele. Ou então John faz amizade com alguém que lhe rouba a namorada. Ou o seu carro é roubado. Ele ainda vai ter de aprender a lição do perdão. Se não perdoar o patrão, talvez se torne capaz de perdoar o colega de trabalho, o amigo ou o ladrão. As mudanças que John está vivenciando são, na verdade, relativas à mudança de consciência. Para colocar isso no contexto de seus outros ciclos, suponhamos que o objetivo de sua alma seja o de aprender várias lições importantes, de modo a finalmente poder usar seu talento para ajudar os outros. Talvez, se pudéssemos vê-lo dois ciclos mais tarde, descobriríamos que se tornou um fisioterapeuta que reabilita pessoas acidentadas no trabalho. Ele não vai realizar essa tarefa antes dos trinta e cinco anos e talvez não tenha nenhuma idéia, aos vinte e um ou vinte e oito anos, de que esse tipo de trabalho venha a atraí-lo. Mas a alma dele sabe. Esse propósito faz parte do padrão da sua ascendência desde o nascimento, assim como a cor dos seus olhos. Desde o momento em que John nasceu até aquele em que inicia esse trabalho, ele vai atrair inconscientemente para si todas as lições de que necessitar para se desobstruir e se preparar para ajudar os outros em seus bloqueios e desafios. Algumas das lições podem ser bem difíceis. Assim, por exemplo, pode ser que ele sofra um acidente sério aos vinte e oito anos que pareça uma interrupção absurda de sua vida naquele ponto. Se tentarmos compreender essa mudança dolorosa no momento em que ela ocorrer, provavelmente não seremos bem-sucedidos. Mas, à medida que John passar por meses de luta e terapia para recuperar a saúde, ele vai aprender a penetrar no fundo de si mesmo e libertar sua vontade. Sua aprendizagem será sobre a disciplina e a paciência, e sobre a compaixão pelos outros. Os níveis de percepção que estavam fora do alcance de sua consciência antes do acidente agora vão tornar-se acessíveis para ele. Vamos supor que John assimile a lição sobre o perdão, já que não poderá ensinar muito aos seus pacientes se ele próprio não a aprender. Nesse caso, aos trinta e cinco anos, quando estiver pronto para dedicar-se à missão de sua vida, ele já terá obtido o diploma das escolas que lhe ensinaram aquilo que ele precisava saber para fazer bem o seu serviço. O perdão, a autodisciplina e a compaixão irão combinar-se numa forma de síntese em sua consciência. 

No momento em que compreendemos que nossas almas estão nos segurando metódicamente na mesma “sala de aula” até que cheguemos a assimilar as lições, a impaciência e os juízos a nosso próprio respeito e a respeito dos outros tornam-se atenuados e suaves. Na maior parte do tempo, não sabemos qual é a lição das outras pessoas. Mas começamos a compreender que um momento difícil, e até mesmo uma tragédia, é provavelmente uma lição importante e necessária em suas vidas. A essa altura, nós nos tornamos cônscios de que as coisas não são aquilo que parecem ser. E, se parecem ser muito ruins, elas não são necessáriamente assim; Levamos certo tempo para aprender que as coisas nem sempre são aquilo que parecem ser.  Creio que temos de passar pela experiência de abrir mão de alguma coisa valiosa antes de podermos fazer isso bem e com alegria. Outro exemplo de alguém que trabalha para dedicar a vida em prol dos outros, pode ser o de uma pessoa que foi famosa numa vida anterior por causa de sua voz e que decidiu, no nível da alma, ser um grande professor de canto nesta vida. O gênio dessa pessoa é aproveitado para ajudar os outros a alcançar o seu potencial. Um grande escritor pode decidir ser um grande editor para os outros. Outra pessoa, inteiramente capaz de realizar muitas coisas para sua própria fama mas que decida trabalhar nessa lição específica, pode tomar a decisão de se dedicar a ser mãe de várias crianças em período integral. Cada uma dessas pessoas, fazendo uso de seus próprios recursos para promover o talento de outras, descobre que o sacrifício apenas parece consistir em abrir mão de algo, quando é visto pelos olhos do aluno mais novo. Na verdade, isso significa uma aquisição. Como todas as lições da alma, esta não pode ser contrafeita: o eu interior sabe se estamos simulando uma patologia, um mito familiar programado ou crescendo quanto à compreensão. A fé no objetivo da alma não é muito compatível com um sistema de valores que requer recompensa imediata. Desse ponto de vista, as mudanças constituem uma constante fonte de frustração, muitas vezes devastadora e angustiante. Assim que começamos a encarar-nos a nós mesmos e aos outros holísticamente, em toda a nossa trajetória de vida, passamos a reconhecer a mudança como a força dinâmica que está por trás do desenrolar do plano da alma.

**************************************************************************************************************

CONCLUSÃO E NOTA DO BLOG

A maioria de nós poderia olhar para trás e ver que uma mudança difícil, que não fez nenhum sentido num determinado momento da nossa vida, preparou-nos para desempenharmos uma importante tarefa, posteriormente.Diante de uma decepção ou de uma mudança radical que nos desagrada, é um desafio acreditar que existe um propósito. Aceitar isso é uma das primeiras lições para viver as mudanças com dignidade. Quantas vezes não tentamos manipular o mundo para obter algo que queríamos e falhamos? Simplesmente aquele não era o momento certo, mesmo que não soubéssemos disso. Mais tarde, as mesmas portas que antes queríamos tão desesperadamente abrir à força escancaram-se para uma oportunidade inesperada e nós as transpomos, aparentemente sem nenhum esforço. Esse é o momento certo. Como um vaso de cerâmica que foi diversas vezes submetido ao fogo a fim de poder suportar a pressão daquilo que virá a conter, assim também nós somos moldados sempre tendo em vista o futuro.

CONTINUA…

EQUIPE DA LUZ É INVENCÍVEL

********************************************************************************************************************

Resultado de imagem para imagens sobre o filme star warsPosts relacionados; EVOLUÇÃO DA RAÇA HUMANAequilibrio-a-principal-ferramenta-da-ascencao-para-uma-consciencia-unificada/”chaves-para-o-autoconhecimento-e-a-cura-o-estudo-do-eu-superior-parte-1/”a-abertura-aos-sentidos-superiores-experiencias-no-caminho-da-ascencao/”academia-de-ascensao-energia-criadora/”o-que-realmente-significa-ascender-a-quinta-dimensao/”James Redfield e a metafísica do caminho espiritual-A Profecia Celestina-Nível Vibratório e AlimentaçãoAmit Goswami: O Universo Autoconsciente, Como a Consciência Cria o Mundo MaterialWayne Dyer: O Poder da Manifestação, Consciência e Espiritualidade, O Propósito de vida, Vivendo a Sabedoria do Tao

***************************************************************************************************************

Bibliografia para consulta

1-O despertar de uma nova consciência
Eckhart Tolle
2-Momento de despertar
Shakti Gawain
3-Psicologia da Alma
Dr Joshua David Stone
4-Um Curso em Milagres
Foundation for de Inner Peace
5-Ascenção Cósmica-roteiro para os reinos desconhecidos da luz
Dr Joshua David Stone
6-Sua missão ascencional-O seu papel no Plano Maior
Dr Joshua David Stone
7-Ascenção Cósmica
James Tyberonn
8- O processo da Iluminação Espiritual
Judith Blackstone
9-Modern Physics and Vedanta
 Swami Jitatmananda
10-Vedanta Monthly
 Vedanta Center
11-Manuscritos -acervo pessoal
 
Nota; Alguns livros estão disponíveis em nossa Biblioteca Virtual

CONSULTE NOSSO CANAL DE VÍDEOS

Divulgação: A Luz é Invencível

A “Luz é Invencível” tem por norma não publicar links que não estejam ligados ao texto postado.Pedimos a compreensão de todos, e para qualquer dúvida, temos nossa caixa de sugestões onde todos podem livremente fazer suas colocações que serão arquivadas para consultas posteriores.
Nós agradecemos a compreensão de voces.
Equipe da “Luz é Invencível”

9 comentários em “As Etapas para uma Transformação Consciente-Parte 2

    • Olá Annybeth

      Nós da equipe da Luz agradecemos as palavras tão gentis e ficamos contentes de poder ajudar no que pudermos,afinal essa é a nossa proposta de trabalho/ajuda na Nova Era que estamos entrando.Todos estamos aprendendo com todos e a presença dos leitores comentando, nos ajudam a melhorar nosso trabalho e disseminar cada vez mais integração, informação e conhecimento.Continue conosco.

      Muitas vibrações positivas da Equipe da Luz é Invencível

      Curtir

  1. Olá equipe!

    Excelente texto num dia que perdi um dos meus dois empregos. Apesar do “baque”, estou consciente de que agora terei tempo disponível para escrever no blog que venho ensaiando colocar online. Confio no universo que me sustenta e estou de coração e mente abertos para ajudar na mudança do nosso planeta!

    Gratidão!
    (wild flower)

    Curtir

    • Olá Wild Flower

      Obrigada pela presença constante e pelas palavras de incentivo ao nosso trabalho.Esteja certa de que nada acontece por acaso e sempre é para o nosso crescimento, de uma forma ou de outra.O que pensamos ás vezes que vem para dificultar, vem para expandir, aprender e desbloquear/reciclar.

      Coloque suas metas em andamento e se dedique ás suas propostas de vida com sinceridade e firmeza de propósito;sempre que temos uma grande e legítima motivação que se alinha ás Grandes Leis Universais, o Universo conspira ao nosso favor e a nossa centelha se faz cada vez mais presente e ativa em nossas vidas.Tudo depende da nossa ATENÇÃO.

      Muitas vibrações positivas da Equipe da Luz é Invencível

      Curtir

      • Olá Wild Flower

        Obrigada pelas palavras tão gentis e nós da equipe só podemos agradecer sua presença constante com seus comentários corajosos, pois sabemos o quanto são importantes para as pessoas que estão passando por situações semelhantes.Uma tônica desta Nova Era é nos irmanarmos com as pessoas, sermos solidários,fraternos e amigos de verdade, sabendo que estamos todos no mesmo “barco” chamado planeta Terra, todos lutando para sobreviver e elevar a consciência, somos sementes estelares, temos as mesmas características básicas como raça,sentimos ,amamos,lutamos e sofremos, praticamente com as mesmas dificuldades.Nós da Equipe da Luz, não somos sómente um blog informativo;estamos aqui participando desta Transição ativamente e os comentários de todos nos ajudam a traçar linhas mestras para continuar conduzindo nosso trabalho.

        O que podemos lhe dizer é que “continue amando tudo e todos”, mesmo as situações mais difíceis,sem raiva, sem mágoa, apenas com AMOR, que é a força maior da nossa Fonte Criadora.Somos todos apenas AMOR e para o AMOR MAIOR, voltaremos.Continue conosco.

        Muitas vibrações positivas da Equipe da Luz é Invencível

        Curtir

  2. Pingback: As Etapas para uma Transformação Consciente – 2ª Parte – 16.03.2016 | Senhora de Sírius

  3. Gratidão por compartilhar este precioso conhecimento. Sinto que estou neste momento de mudanças. Há momentos que não reconheço a força que me mantem fixa, e parece que tudo que faço me leva para o mesmo lugar. Mas quando me percebo em franco boicote, e com o coração desejo de fazer o que quero fazer, alinho minhas forças. Alinho meus pensamentos, minhas emoções, minhas vontades ao que realmente quero. Dói! Mas dá para sair do lugar. Ampliar a percepção sobre meus processos mentais tem sido um grande aprendizado. Ler o que você escreveu foi como narrasse o meu processo. E como dizer as fichas caíram. Beijos

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá Annybeth

      Obrigado pelo comentário e pela presença.Seja bem vinda.

      Pensemos;existem dois tipos de mudanças, aquelas que escolhemos pela necessidade interior que temos de mudar algo em nossa vida gerada por insatisfação interior e aquelas que acontecem por fatores externos a nós e que não dependem de nosso desejo. As que acontecem por fatores externos são aquelas mudanças que não dependem de nossa decisão, como a perda de um emprego, perder dinheiro, ter que mudar de casa,mudar de relacionamento; Mas e o medo de fazer uma mudança necessária? Como saber se esta é a melhor decisão a ser tomada no momento?

      O medo de mudar algo em nossa vida acontece porque sempre que precisamos mudar algo,sabemos que também perderemos algo. A essência do medo é a perda do que é valioso para nós. O medo traz a sensação de desequiíibrio (cair). Também traz a sensação de abandono, ou seja, deixarmos para traz aquilo que precisamos ou que achamos que precisamos, abandonamos tudo aquilo que é confortável para darmos um passo em relação
      ao desconhecido.

      Mas, analise, se você mudar o jeito que encara essa perda e mudar seu pensamento para “deixar”em vez de “perder”, estará fazendo uma escolha consciente daquilo que precisa fazer e a sensação de perda passará a ter outro valor em sua escolha, pois estará optando por
      abandonar algo que não serve mais e isso estará absolutamente sob seu controle.Sabendo disso, que recursos são necessários para realizar a mudança?Qualquer mudança para ser concretizada com êxito precisa ser composta de recursos baseados em nossa segurança emocional. Quanto mais recursos possuímos, mais no controle da situação nos sentimos. Esses recursos podem ser obtidos através da informação a respeito da situação que precisamos mudar, dos possíveis contratempos.

      Qualquer mudança que precisamos fazer sempre será um ato de equilíbrio entre essas duas forças: O desafio da mudança em si e os recursos que possuímos para suportá­-la.Quando o medo surgir, precisaremos desse apôio. Os amigos serão sempre uma excelente fonte de apôio, pois poderão nos ajudar naquilo que precisarmos. Serão pessoas que acreditam em nós mesmos quando não estamos acreditando. Sempre nos estenderão as
      mãos para ajudar-­nos a alcançar aquilo que no momento não estamos conseguindo.
      “Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”.
      Leon C. Megginson

      Fique á vontade para suas considerações e continue conosco

      Muitas vibrações positivas da Equipe da Luz é Invencível

      Curtido por 2 pessoas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s