Uma Sinopse do Material Ra – A Série de Livros da Lei do Um

Um pouco antes da da minha leitura do material Ra: A série de livros da Lei do Um há vários anos, de forma sincronizada, encontrei uma sinopse excepcionalmente completa e bem escrita dos cinco livros publicada no site Wikipédia, que infelizmente não está mais disponível atualmente (o motivo de sua exclusão é desconhecido). Esta sinopse foi muito útil como um precursor de meus estudos da Lei do Um como ensinado por Ra nesta série. Avançando para o presente, eu mesmo me senti atraído em fornecer uma sinopse simples para aqueles que são novos no material para ajudá-los a se sentir mais fundamentados nos ensinamentos desde o início. Espero que a seguinte sinopse possa apoiá-los e ajudá-los nos seus futuros estudos.

O Material da RA: A Lei de Um, é uma série de cinco monografias filosóficas publicadas entre 1982 e 1998 pela Schiffer Books.

No início da década de oitenta, estes livros foram escritos por um ser multidimensional não humano denominado Ra através do processo de canalização em que Don Elkins atuou como questionador, Jim McCarty como escritor e Carla L. Rueckert como o canal para Ra. O diálogo entre Don Elkins e Ra foi gravado, transcrito e editado por Jim McCarty para produzir os cinco livros.

A série de cinco livros apresenta comentários e transcrições completas do diálogo entre o questionador e Ra, que é descrito como um ser pertencente a uma civilização de seres extraterrestres que se fundiram em uma consciência unificada (um complexo de memória social que é um termo usado por Ra para descrever um grupo de consciência unificada).

A introdução no primeiro livro explica que o questionador é Don Elkins e que Ra é um ser de densidade superior (consciência superior). Uma forma de vida da 6ª densidade de energia pura, falando através do corpo da canalizadora em transe Carla L. Rueckert.

Carla L. Rueckert transmitiu o material entrando em um estado não consciente (que os autores se referem como um transe inconsciente) onde ela se tornou um canal de comunicação para Ra para que eles se comunicassem com o nosso nível de realidade (nossa vibração) e respondessem as perguntas feitas por Don Elkins. As respostas foram interpretadas como comunicações diretas com Ra, o que está de acordo com a visualização padrão sobre canalização de transe. Os livros estão escritos em formato de perguntas e respostas.

A Lei do Um é um dos doze princípios universais de acordo com um princípio básico de que tudo é UM, todas as coisas que existem são em última instância, a mesma essência em muitas formas e configurações. A filosofia da Lei do Um descreve as grandes questões da vida: por que, como e de onde tudo o que existe vem. Bem como seu lugar dentro do manifesto da Criação. Os cinco livros exploram esta premissa em relação a muitos aspectos da vida, incluindo filosofia, religião, espiritualidade, cosmologia, antropologia, história, política, física, biologia, geologia e o paranormal. Os diálogos foram citados por alguns como uma convergência de ufologia e canalização em transe, onde um canalizador humano está alinhado ou em ressonância com Ra, podendo assim agir como um receptor para as vibrações sabedoria/conhecimento superior) emitidas pela inteligência da 6ª densidade. O material descreve que Ra é uma raça altamente avançada de extraterrestres multidimensionais que visitaram o antigo Egito e ajudaram na construção das pirâmides.

Nesses livros, Don Elkins, um Físico Ph.D., professor universitário e piloto de linha aérea chegou ao ápice de sua vida de pesquisa do fenômeno OVNI através do contato telepático com uma inteligência extraterrestre.

Durante vinte anos, ele esteve trabalhando com vários indivíduos talentosos que entravam em transe e falavam em nome desta inteligência superior. E todas as vezes o Dr. Elkins lhes fazia as perguntas mais difíceis e desafiadoras que surgiam da vanguarda de sua pesquisa avançada sobre física ele obtinha as respostas.

Essas respostas eram repetidamente provenientes daqueles que não tinham conhecimento do assunto enquanto estavam conscientes. Foi no final deste período de vinte anos que o trabalho de Elkins com Carla Rueckert passou para um nível muito mais substancial.

Este avanço foi precipitado diretamente pela chegada de Jim McCarty, que pensou que ele faria parte do grupo para ajudar no catálogo de Don e Carla, para categorizar e organizar os volumes do material que eles já tinham produzido. Em vez disso, aconteceu algo totalmente inesperado.

Eles atraíram um verdadeiro mestre dos reinos superiores, talvez o principal grupo que tem sido o responsável pelo cuidado da humanidade: um enorme grupo espiritual de entidades, que se autodenominam de Ra e diziam que eram do sexto nível de densidade de evolução espiritual, milhões de anos mais avançados do que os humanos atualmente.

Assim que Ra começou a falar, eles deixaram claro que esta era a primeira vez que eles conseguiam transmitir uma série de mensagens que não foram distorcidas em milhares de anos da história humana.

As palavras e conceitos foram altamente sofisticados e precisos, ao contrário de qualquer outro tipo de material canalizado já visto, e foram referendados por um professor com um Ph.D. em dissertação sobre epistemologia.

Conteúdo do Material RA: Lei do Um:

1 Conteúdo
1.1 Cosmologia
1.2 Densidades
1.3 Vida
1.4 Tarô e Arquétipos Mentais
1.5 Influência
2 Referências

A série de livros articula uma filosofia não dualista segundo a qual todas as coisas se desenvolvem e são UMA com a Fonte do Universo, denominada de Criador Infinito.

Dentro da Lei do Um, o Criador não é descrito como uma entidade externa, como nos atuais textos religiosos terrestres para que os homens entendam. Em vez disso, o Criador é uma energia inteligente totalmente omnipresente, que está dentro de tudo o que existe, sendo assim a unicidade indivisível que a filosofia descreve. Subjacente à percepção de separação, utilizada para aprender, é uma unidade indivisível.

A Lei do Um afirma que este Universo, um de muitos, foi criado pelo Criador Infinito, exteriorizando sua energia nas partes da existência chamada de torções. O processo ocorreu uma torção de cada vez, em uma ordem específica.

A primeira torção criada é chamada de livre arbítrio.

A segunda é o amor.

A terceira é a luz.

Todas as outras substâncias e formas provêm de uma interação dessas três torções. Semelhante a um holograma ou a um fractal, cada parte da criação também é o todo.

Como Ra usa a palavra, a torção da luz pode significar: energia/matéria e conhecimento/sabedoria.

Cosmologia:

Ra descreve cada galáxia como a criação de uma inteligência chamada Logos. O Logos cria muitos sub-Logos, sistemas estelares (estrelas e planetas). Um sub-Logos seria o nosso Sol, por exemplo. Outro seria o nosso planeta Terra, outro o planeta Vênus, Júpiter e assim por diante. O sub-Logos, por sua vez, cria sub-sub-Logos. Os seres humanos são um exemplo de sub-sub-Logos. Cada Logos, sub-Logos e sub-sub-Logos é um microcosmo do Criador. O Logos criou sete níveis de progressão para a evolução espiritual e Ra chamou cada um desses níveis de densidade.

Mais importante ainda, esta cosmologia não é simplesmente no domínio da especulação elevada, para todos os efeitos, Ra ensinou sistematicamente o Dr. Elkins sobre uma nova forma de física, uma nova forma de entender a maneira como o Universo funciona, enraizado em compaixão, harmonia e sabedoria.

Densidades:

Os comentadores interpretaram as densidades de várias maneiras. Alguns descreveram como uma dimensão, como em uma dimensão superior da realidade experiencial. A densidade difere marcadamente da noção cartesiana de dimensão.

De acordo com Ra, diferentes densidades estão associadas a diferentes níveis/formas de consciência e diferentes formas fenomenológicas de ser.

A primeira densidade é a densidade dos elementos (Terra, Água, Ar, Fogo) (Em termos científicos: sólido, líquido, gas e plasma).

A segunda densidade é a densidade da vida orgânica: plantas, animais, bactérias, etc.

A terceira densidade é a densidade em que os seres humanos habitam. É a densidade da autoconsciência. É também a densidade da dualidade, através da qual o indivíduo escolhe sua polaridade de serviço.

A 4ª densidade é a densidade do amor ou da compreensão. E, como todas as densidades subsequentes, a densidade do amor é habitada por complexos mente/corpo/espírito de um nível superior de evolução espiritual do que seres humanos atualmente na Terra.

A 5ª densidade é a densidade da luz ou sabedoria. Onde uma contemplação e uma introspecção longa e profunda são praticadas para que a própria sabedoria possa surgir e a entidade possa tornar-se refinada um grau ainda maior.

A 6ª densidade é a densidade da consciência unitária, onde o amor e a sabedoria estão unidos e onde todas as outras polaridades estão unidas. Na história da Terra, a 6ª densidade é a densidade da qual os arcanjos são originários, conforme descrito em vários textos.

A 7ª densidade é a densidade do portal, a última densidade antes dos complexos mente/corpo/espírito se fundirem novamente no Criador.

A 8ª densidade é o início da próxima oitava. Onde a viagem começa de novo.

Ra nos diz que os seres humanos são compostos por uma mente, um corpo e um espírito, e, portanto, se referem a um ser humano individual como um complexo mente/corpo/espírito. Ra diz que os seres humanos, juntamente com a Terra, estão passando por um processo chamado colheita. Isso incluiu declarações de que existem muitos outros seres vivos no Universo que são semelhantes aos humanos, mas diferem no corpo, na inteligência, na cultura e na evolução espiritual. Estes seres, como os humanos, são referidos como complexo mente/corpo/espírito.

Ra descreve que indivíduos de outras densidades encarnaram na Terra para contribuir com a colheita.

Ra explicou que todos os complexos mente/corpo/espírito, depois de serem formados na 3ª densidade, avançam para cima através das densidades à medida que evoluem espiritualmente até se tornarem UM com o Criador no final da 7ª densidade.

Esta evolução é realizada através da encarnação em um corpo. Muitas vezes, até que a alma tenha completado as lições relevantes para cada densidade. A encarnação só ocorre dentro da 1ª, 2ª, 3ª e 4ª densidade. Um corpo físico não é mais necessário além do final da 4ª densidade. A partir da 5ª densidade e além, o corpo é de natureza puramente energética.

Para avançar da 3ª para a 4ª densidade, os indivíduos devem escolher entre duas polaridades de serviço. Serviço aos outros ou serviço a si próprio: ou em linguagem simples, entre altruísmo e egoísmo. O objetivo da 3ª densidade é fazer esta escolha. O propósito é experimentar o ambiente às vezes áspero da 3ª densidade, independentemente da localização no Universo, é para cada alma fazer esta escolha de serviço e, assim, progredir.

À medida que as entidades evoluem, elas equilibram e desbloqueiam progressivamente seus centros de energia que correspondem aos chacras. A série Lei do Um inclui uma ampla discussão sobre estes centros de energia.

Cada centro de energia está associado a uma cor e um chacra hindu correspondente:

  • Muladhara é chamado de raio vermelho.
  • Svadhisthana é chamado de raio laranja.
  • Manipura é chamada de raio amarelo.
  • Anahata é chamado de raio verde.
  • Vishuddhi é chamado de raio azul.
  • Ajna é chamado de raio índigo.
  • Sahasrara é chamado de raio violeta

Além disso, a humanidade e a Terra estão passando por uma transição da 3ª para a 4ª densidade. Esta transição está vinculada a um processo chamado colheita. Isto envolve um salto quântico dentro da nossa realidade física, que começa a ocorrer em aproximadamente 30 anos a partir dos diálogos de Ra 1981. Um dos diálogos menciona um período de tempo geral de 100 a 700 anos para a transição na Terra, desde a 3ª densidade até a 4ª densidade.

As escolhas morais são discutidas através do conceito de polaridade. Ra explica que existem duas polaridades: serviço a si próprio e serviço a outras pessoas. Essas duas polaridades relacionam-se com os conceitos cotidianos conhecidos como luz e sombra, bem e mal, ou altruísmo e egoísmo.

O serviço aos outros é descrito em termos de uma configuração do centro de energia, quando o raio verde irradia para os outros seres. Isso resulta em compaixão, sentimentos amorosos e atos de serviço aos outros.

O serviço ao eu é descrito em termos de uma configuração do centro de energia, quando o raio verde é apontado principalmente para dentro. Essa configuração do centro de energia faz com que a entidade sinta amor por si mesma, mas não pelos outros. Estes sentimentos levam a intenções e ações de autoatendimento, ou serviço a si mesmo.

Ra descreve a Terra como um ser vivo que tem mente, livre arbítrio e cresce ao longo do tempo, tanto física como espiritualmente. Ele explica que a Terra está atualmente em processo de mudança de um planeta da 3ª para a 4º densidade.

Tarô e Arquétipos Mentais:

Uma grande parte da série abrange o estudo (intuitivo) dos arquétipos do Logos local, que são altamente reminiscentes do trabalho de Carl Jung. Ra afirma que o sistema tarô é originário do planeta natal de Ra, Vênus, quando a civilização de Ra estava no 3º nível de densidade, há muito tempo, e que os arcanos maiores do Tarô eram usados como um referencia geral e meios de estudar o próprio progresso. Originalmente, os arcanos maiores eram apenas um conglomerado de imagens arquetípicas que deveriam ser memorizadas. Só depois, quando foram introduzidos nas civilizações suméria e egípcia, que o sistema Tarô veio a ser conhecido no formato de cartas como é atualmente.

Os sete arquétipos são divididos em três grupos (1. Mente 2. Corpo 3. Espírito, com o vigésimo segundo arquétipo sendo o grau zero, que Ra denomina “A Escolha”.

Influência:

A série de livros se concentra em torno da colheita, que é descrita como uma grande mudança espiritual e física que ocorrerá na Terra a partir do ano de 2011. Considere o ano da sessão de canalização em que a colheita é mencionada enquanto se adiciona trinta anos como mencionado na sessão nº 6 do livro (mostrado abaixo).

“6.17 Interlocutor: Este inconveniente é iminente dentro de alguns anos ?”

“Ra: Eu sou Ra. Este inconveniente, ou complexo vibratório desarmonioso, começou há vários anos em seu passado. Deve continuar sem cessar por um período de aproximadamente trinta dos seus anos. (Nota do editor: 24 de janeiro de 1981 + 30 = 2011)”.

“6.18 Interlocutor: Após esse período de trinta anos, suponho que seremos um planeta da 4ª dimensão ou um da 4ª densidade. Isso é correto ?”

“Ra: eu sou Ra. Isto é assim”. Complexo de memória social Ra, Série da Lei do Um, Sessão 6, Perguntas 17 e 18.

A colheita foi uma das primeiras menções nos tempos modernos em relação ao fenômeno escatológico de 2012.

A série de livros Lei do Um influenciou as publicações de muitos autores, em vários campos. O autor de best-sellers do New York Times, David Wilcock, citou em seus livros e palestras a série Ra: uma série de livros da Lei do Um como seminal na formação de sua compreensão da natureza da realidade, bem como a causa e a condução para uma maior compreensão.

A Lei do Um foi descrita como o conjunto de materiais canalizados mais amplamente citado e tem influenciado no desenvolvimento de conceitos espirituais, como a polaridade, a evolução espiritual através das densidades e dos viajantes.

ADENDO A Luz é Invencível:

Para quem tiver interesse os livros do material Ra – Lei do Um estão disponíveis na biblioteca virtual:
Livro 1, Livro 2, Livro 3, Livro 4, Livro 5

©Joy Jackson

Origem: Na 5ª Dimensão

Tradução e Divulgação: A Luz é Invencível ☼

A “Luz é Invencível” tem por norma não publicar comentários com links.
Pedimos a compreensão de todos, para qualquer dúvida temos nossa caixa de sugestões onde todos podem livremente fazer suas colocações. Agradecemos a compreensão de todos.
Equipe da “Luz é Invencível”.
Anúncios

20 comentários em “Uma Sinopse do Material Ra – A Série de Livros da Lei do Um

  1. Li o primeiro livro inteiro.
    O conteúdo é fascinante, apesar do questionador não criar narrativa e repetir perguntas.

    Um coisa me incomodou profundamente é o fato do ciclo encarnatório ser chamado de “A Colheita” isso não soa tão legal, pra visão de alguém desesperançoso isso parece uma brincadeira de jogar um rato na rodinha e o “Livro arbítrio” não respeitado, já que é quase impossível sair desse ciclo.

    E os autores dos livros tiverem um triste fim, os dois.

    Curtir

    • Olá Elvis

      Concordo com você, o uso do termo não foi feliz, acredito que seja mais uma questão de falta de familiaridade com o vocabulário da linguagem, ou seja uma palavra que permita múltiplos significados, visto que é um ser (Ra) que não fez uso dele, penso que ascensão seria mais adequado e descreve melhor o que vai acontecer, pois vamos aumentar a nossa vibração, passando de uma dimensão para outra.

      Mortes extremamente suspeitas, é bem provável que os governos escuros estejam por trás delas, afinal o conteúdo ajuda a repensar a forma como vivemos nesta ilusão, além de deixar bem claro a existência de extraterrestres, coisa que os governos sempre tentam esconder.

      Muita paz, luz, amor e expansão de consciência
      A Luz é Invencível ☼

      Curtir

      • É, mas essa da colheita é bem estranho, a própria obrigatoriedade de enfrentar a roda de reencarnações já é uma transgressão a lei do livre arbítrio, como temos o véu do esquecimento, não temos a clareza de ter optado ou não esse método de aprendizagem.

        As informações se repetem o tempo todo e as questões também, não tá bem direcionado e o que eu notei em um momento do livro é que minha intuição questionou onde isso quer me levar e o que essa entidade quer.

        A aceitação do retorno a fonte é algo possível realmente, mas isso não descartaria a individualidade criada por anos de experiência que a alma adquiriu, isso não se apaga, o livro diz que apaga.

        Quando li isso no material se encaixou perfeitamente na mentalidade de colmeia, onde todos tem que trabalhar para outro(alguém) e esse outro(alguém) é o único diferente de todo o resto. Isso torna questionável se RA é realmente um complexo social ou uma inteligência artificial.

        Se em menos de 25 anos de internet e computação gráfica nós já simulamos uma realidade em jogos, imagina um civilização de 700mil anos a frente.

        É fato o que ele diz sobre a unanimidade de um desejo por todos os seres da terra, mas se todo mundo aceitar o destino de serem colhidos, isso torna um prato cheio pra qualquer civilização fazer o uso que quiser com as nossas almas.

        A lei da atração funcionaria pra isso e eles poderia fazer porque é uma escolha nossa através do livre arbítrio.

        A vezes tem que tomar cuidado com isso.

        Por enquanto é melhor só desejar que a terra se cure e prossiga em frente e nós também.

        E não desejar a colheita por outros seres.

        Curtir

        • Olá Elvis

          Concordo que se pensarmos em termos de roda reencarnatória da a impressão de algo interminável, injusto, mas creio que a visão mais correta para o caso seriam as Leis Universais, no caso a de causa e efeito, tudo o que jogamos para fora retorna para nós, então se agimos de forma a prejudicar alguém é justo que esta ação retorne para nós, o contrário também é verdadeiro, se fazemos o bem, criamos uma corrente que retorna bondade para nós.

          Em relação a individualidade ou fazermos parte de uma mônada creio que é algo com o qual devemos nos preocupar daqui a milhares de anos, senão milhões, até lá a informação fica mais clara e creio que o livre-arbítrio pode ser exercido por nós como uma escolha.

          Novamente concordo com você, o ideal é seguirmos em frente exercendo o nosso poder individual, mesmo porque ainda não passamos pela experiência de sermos totalmente livres, sem ninguém, nos controlando e manipulando, penso que precisamos de milhares de anos desta forma para depois pensarmos em algo diferente, até lá construiremos uma consciência e entendimento maior para podermos analisar se é viável ou não fazer parte de uma mente colmeia (mônada).

          Muita paz, luz, amor e expansão de consciência
          A Luz é Invencível ☼

          Curtir

    • Olá amigo Elvis,
      Confesso que eu também achei o termo “colheita” um tanto estranho. Porém, depois cheguei a conclusão que pode ser uma questão de tradução. Tudo indica que o original está em inglês americano e por questões de cultura, as percepções podem ter variações.

      Curtir

  2. percebam que apesar de falar sobre unidade e tudo é um, os comentários se finalizam em Experiencias Individuais e como cada um experimenta um universo à parte. A mente no Todo, e os pés no chão. A experiência chamada vida não se explica, e vocês aqui, que leem isso, sabem. A verdade está no primeiro respiro ao acordar todas as manhãs. A verdade está no que acontece quando você olha, com potência, nos olhos de outros seres, um arrepio chamado vida. A verdade está no toque, na pele, no mar e no vento, na dúvida e no mistério. Mas isso vocês que leem aqui já sabem, só precisam avisar os outros.

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá Marcos

      A unidade não significa perder a individualidade, seguimos independentes, únicos, mas sabendo que é o conjunto que cria a realidade que experimentamos, o mar, o vento, tendo consciência de que tudo o que fizermos aos outros estamos fazendo a nós mesmos, que a competição, a disputa só leva a divisão, ao confronto, e ao contrário a unidade leva ao crescimento, expansão.

      Muita paz, luz, amor e expansão de consciência
      A Luz é Invencível ☼

      Curtir

  3. Tenho um filho, já o disse por aqui, que está na casa dos vinte anos, que completará em novembro deste ano. É nosso costume conversarmos sobre a “evolução terrena” e ele, com um sorriso suave, diz que estamos errados. Eu e todos, exceto outros como ele, que sabe que estão ainda chegando. Afirma que, o que é por aqui é, também, fora daqui. Que, por outro lado, não existe o que chamamos de dimensões da maneira como pensamos, do ponto de vista físico; na verdade, tais dimensões, segundo ele, são outras realidades da mesma coisa e, que, estamos aqui e em muitos lugares, “no mesmo tempo e no mesmo espaço”, só que não temos consciência. E, em sendo assim, “achamos” que estamos separados quando, em realidade, somos sempre unificados nos vários aspectos das vivências, nas quais “jogamos” com dados e realidades diversas. Não estamos nem vivos e tampouco mortos, tal situação é apenas fruto daquilo que ignoramos, que não vemos, que não atinamos, que não conhecemos. Ele afirma que, é bem simples esta percepção, desde que aceitemos que tudo está em aberto e, é o que não fazemos: tudo é compartimentado e dependente de uma “autoridade superior”. Errado, afirma com convicção! Ele diz que podemos perceber o “enredo”, basta sermos realizadores de processos em aberto. Quando uma “autoridade” faz alguma comunicação com “este mundo”, ela está aqui e sabe disso, não está noutro lugar, porque sabe que sabe e, que, a contraparte ainda não percebeu o engodo. Esta aqui na condição original de si, que expandida, pode perceber nosso mundo e tudo mais. Nós é que nos limitamos e, como selvícolas, não percebemos as naus e as pretensões dos viajantes delas. Ele, hoje, afirmou que não vamos ver senão aquilo que geramos e, portanto, uma ilusão de pensar, de querer. Alerta que, estamos certos, mas olhando da maneira errada. E, a tal maneira errada é que condicionará nosso próximo passo e nossa crença. Ele afirma, com convicção, que estamos presentes em todas as realidades e, como tal, nem sempre recebemos orientações de outros, senão de nós mesmos, olhando de outra posição experimental. As mensagens que recebemos são cautelosas, pois esses seres já vivem noutra realidade e afirmam que nunca estiveram por aqui, o que pode ser verdade, ou uma meia-verdade; no momento em que se ligam a nós, nas suas comunicações, passam a viver o que vivemos, ou então não teriam condições de “ver”. Usam de símbolos que podem ser decifrados numa leitura humana bem recente: Freud. O tempo que decorre e parece fluir do passado, é um nada de verdade, pode ser alterado por qualquer um de nós e, a História “alongada”, “estendida” ou “suprimida”. Nós somos tudo isso e, no mesmo passo, nada disso. Pode ser contraditório, mas é o que é. E, segundo ele, não precisa ser esperto para compreender, se compreendermos o poder da propaganda, que traz em si esse processo mistificador, que não parte de lugar nenhum senão de nós mesmos. Nós estamos aqui, bem como o nosso planeta e, também, noutras realidades, em outros planetas Terra. Pode parecer bizarro, mas isso será notícia por força da coesão e, aí, vão compreender a razão da ausência de dados sobre a personagem histórica chamada Jesus, o Cristo. Ele afirma que todos estão chovendo no molhado e olhando na direção errada. Nada virá do céu, mas de cada um. Ele afirma que tudo está ao nosso alcance, circulando livremente pelo nosso meio, só não juntamos as peças, como deveríamos. Neste lugar no qual estamos, não é tão velho como se imagina e nada aconteceu, senão por conta do nosso olhar. São ondas de informação que aceitamos como verdades, duras e tácteis. Isso é assim em razão do nosso querer e não da “matéria” em si; e, na proporção daquilo que percebemos e nunca da totalidade. Nós jogamos e, via de regra, contra nós mesmos. Consciências e realidades estão intimamente conectadas. Nada surgiu, tudo sempre existiu e, a eternidade, poderia ser encarada como o nosso lar. Expansão é só uma ideia, criada a partir de nós, que poderia não ser vislumbrada por outros de nós, colocados noutra posição do jogo. É um tipo de “matrix”, que sempre julgamos opressora, mentirosa, falsa e atribuível a terceiro, o que não faz nenhum sentido. Ela é cria do nosso universo pensante, modelador e, no final, criador. É a verdade que nos ocultam, ou seja, nós fazemos o nosso jogo piedoso, contracenando com vários dos nossos poderosos instrumentos de vivência. Quando, segundo ele, crescermos nas observações, como os homens que olham na direção do espaço sideral, aos poucos descobriremos um retorno por sobre os próprios passos dados, na direção do “desconhecido” chamado Eu Sou (não aquele das religiões e de filosofias ocultistas com finalidades pouco coerentes …). A única coisa a temer é continuar crendo que não somos “unidades” plurais e, aqui, em todos os sentidos que possamos aventar. É duvidoso crer que o Criador é outro, um terceiro, pois tal será como queremos. E, as consequências, poderão ficar fora de controle, para as unidades criadores deste nosso reduto. Para ele, em verdade, estamos vivendo uma situação puramente psicológica. A realidade na qual estamos, não existe fora de nós. Que a paz esteja contigo!

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá Nei

      Obrigado pelo comentário.

      Penso que como uma verdade dele, ela pode acontecer da forma que ele imagina, circunspecta a sua experiência, talvez seja esta a realidade que ele como alma precisa experimentar, só o tempo dirá.

      Muita paz, luz, amor e expansão de consciência
      A Luz é Invencível ☼

      Curtido por 1 pessoa

    • Olá Jussiara

      Realmente, muito interessante é uma série que já tem um bom tempo e serviu de base para muitos que atualmente contribuem para o despertar da humanidade, vale a pena o esforço de ler os livros, o conteúdo é fascinante.

      Muita paz, luz, amor e expansão de consciência
      A Luz é Invencível ☼

      Curtir

  4. Agradeço a equipe “A Luz é Invencível” por nos brindar com mais esse conhecimento. É mais uma prova de amor para com o outro; e amor é isso: ajuda sem pedir nada em troca.
    Um grande e caloroso abraço.

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá Antônio

      Obrigado, é muito bom saber que as informações compartilhadas com um amor profundo por todos estão alcançando os corações e contribuindo com aqueles que estão na jornada de aprendizado e evolução. A energia elevada deste grande e caloroso abraço foi sentida e com certeza é o melhor pagamento que se pode receber.

      Muita paz, luz, amor e expansão de consciência
      A Luz é Invencível ☼

      Curtido por 1 pessoa

    • Olá Evanor

      Obrigado pelo seu retorno, é muito bom saber que o artigo e links podem servir como mais uma peça neste grande quebra-cabeça que estamos montando, agradecido pela sua presença e pela luz que compartilha com todos.

      Muita paz, luz, amor e expansão de consciência
      A Luz é Invencível ☼

      Curtir

  5. Na verdade, pelo menos na minha, há muito a considerar e tudo permanece dentro do axioma inconfundível de que “tudo de quanto necessitamos está contido em nós”, ou seja, as ferramentas e os resultados. Lá fora, talvez, tenhamos o delírio de que tanto gostamos: a ilusão. O trabalho mencionado neste “post”, já o estudei, quando ainda era improvável a existência deste meio, a rede de dados. E tudo nele são probabilidades e nada é definitivo, o que muitos teimam em contrariar, mas tal deve ser respeitado, como o espaço do livre decidir. Pessoalmente, não sou religioso e não professo qualquer crença em particular. Coloco-me como um ávido aprendiz de tudo, que erra e acerta, mas com a consciência – aquela que está bem próxima de cada um – de ter pretendido aprender. Não costumo agradecer a terceiro, quem quer que seja, pois recuso ter intermediários entre mim e o Todo. Por isso, tenho sido sempre uma pessoa um tanto áspera, mas não o faço por volúpia, mas para tornar-me eficiente nas tantas propostas evolutivas. E responsável solitário pelos erros e acertos desta minha jornada. Para aqueles que acham que os “tempos” chegaram e que tudo vai ser resolvido, “de logo”, presumo que devam reformular sua forma de pensar, de crer, de ver, pois em tempos humanos, ainda teremos um largo espaço de tempo, para que tudo fique no ambiente da nova vibração; e que tal, não dependerá de praxes arcaicas, de caminhos milagrosos, de mochileiros santificados, de ideias unificadoras e engessadas, de condutas restritivas (como longos retiros e coisas da moda …), de visões celestiais, de “gurus” como líderes do alvorecer e tantas outras bobagens de que tanto “badalam” os noticiários. Um rico de posses materiais, poderá sim entrar no “reino dos céus”, se estiver praticando seu próprio caminho evolucionário pautado pela verdade e pela honestidade de propósitos, quaisquer que sejam. De contraparte, um pobre de víveres e presunçoso de sua condição, poderá precisar de mais tempo para entender “o quê” e o “porquê” de estar nesta experiência. Enfim, nada é definitivo, tudo é um mar de probabilidades. E todos, de qualquer modo e a qualquer tempo, terão ascendido, pois esta é a Lei; ninguém será deixado para trás. Todos ocuparão o seu lugar na grande fusão, no grande retorno. Que a paz esteja com todos.

    Curtido por 2 pessoas

    • Olá Nei

      Obrigado pelo comentário.

      Você deixou bem claro um ponto que eu concordo, cada um busca a sua verdade e segue-a, até que perceba que pode estar certo ou errado, mudando de caminho conforme recolhe fragmentos de informações que pelo uso da razão o faça mudar de rumo, penso que as mudanças a tanto propaladas em diversos meios estão a caminho, e diria até que são perceptíveis para os que tem “olhos de ver”, não são algo para a próxima geração experimentar, mas sim esta geração que está na Terra e que veio preparada para ajudar na mudança que é inexorável como “a caravana passando enquanto os cães ladram”,

      Muita paz, luz, amor e expansão de consciência
      A Luz é Invencível ☼

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s